Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

Dados constam na pesquisa realizada trimestralmente pela KPMG no Brasil

Com 406 operações realizadas entre janeiro e junho, o número de fusões e aquisições efetivamente concluídas e divulgadas que envolveram empresas estabelecidas ou com presença no País registrou um crescimento de 5% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse aumento foi o suficiente para confirmar o período como o segundo melhor primeiro semestre da história, ficando atrás apenas de 2012, quando foram concretizados 433 negócios. O número de operações também apresenta uma estabilidade em relação ao segundo semestre do ano passado no qual foram observadas 410 operações.

“Apesar da menor expectativa de crescimento no país, o mercado de fusões e aquisições ainda vem mostrando força e confirmando que este tipo de operação ainda é uma das estratégias mais utilizadas para expansão das empresas”, afirma o sócio da KPMG e líder para o setor de Fusões e Aquisições, Luis Motta. “Também é importante destacar que mesmo no cenário atual, as empresas estrangeiras ainda enxergam oportunidades de aquisições de empresas no Brasil. Como exemplo, podemos citar as 192 operações observadas no primeiro semestre de 2014 em relação às 159 concluídas no mesmo período do ano passado. Este número também está bem alinhado ao segundo semestre de 2013 no qual observamos 194 transações.”

Setores

Além dos setores de Tecnologia da Informação e Empresas de Internet que registraram 54 e 43 operações respectivamente e que tradicionalmente  lideram o ranking, os destaques do primeiro semestre de 2014 ficaram por conta de Empresas de Energia (27), Serviços para Empresas (24), Alimentos, Bebidas e Tabaco (21), Telecomunicações e Mídia (16) e Instituições Financeiras (16).

Trimestre

Com relação aos resultados trimestrais, o intervalo entre abril e junho registrou um crescimento de 10% se comparado com o mesmo período de 2013 (213 x 194). Já se confrontarmos os períodos de 2014, o segundo trimestre também registrou aumento de 10% relação ao primeiro (213 x 193).

TAGS: , , , ,

Deixe seu comentário

0

A indústria de mineração no Brasil realizou durante os nove meses deste ano 17 fusões e aquisições, o que representa a terceira maior alta do setor que vem sendo monitorado desde 1994, em uma pesquisa realizada trimestralmente pela KPMG no Brasil. O estudo apontou também que no terceiro trimestre de 2011 (de julho a setembro) o segmento teve apenas três operações. Apesar do bom desempenho do acumulado parcial do ano, esse número equivale a uma queda superior a 57% em comparação a igual período de 2010, quando foram anotados sete negócios.

Das três transações realizadas no último trimestre em mineração, duas são de empresas estrangeiras adquirindo, de brasileiros, firma brasileira estabelecida no País; e uma de empresa de capital estrangeiro adquirindo, de estrangeiros, outra estrangeira estabelecida no Brasil.

Desde o início do estudo pela KPMG em 1994, já foram realizadas 120 negociações envolvendo empresas de mineração. Desde então foram registradas outras duas altas na indústria: durante todo o ano de 2010 com 24 negociações concretizadas e em 2008 quando aconteceu a maior alta, 27.

Para André Castello Branco, sócio da área e membro do Centro de Excelência em Mineração da KPMG no Brasil, o grande número de negociações já realizadas este ano demonstra que o mercado vive um momento de otimismo.

“O setor está percebendo um período de grandes e importantes movimentações, já que muitos players estão buscando parceiros para se manterem firmes na indústria”, afirmou. 

Segundo ele, a interpretação é que o principal interesse está no mercado local, o que tem impulsionado a aquisição das empresas brasileiras, acrescenta o executivo.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

negócios Site P&S Perspectivas infraestrutura máquinas exportação IBGE Radar Industrial importação PIB CNI Revista P&S máquina Evento inovação Pesquisa Feira Internacional da Mecânica Artigo Investimento meio ambiente FIESP sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado tecnologia Economia Feimafe Feira indústria