Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

Pesquisa de Expectativa de Emprego da Manpower para o segundo trimestre de 2012 aponta que oportunidades para quem busca emprego continuam em alta

O ManpowerGroup, líder mundial em soluções inovadoras de mão de obra, divulgou hoje os resultados para o segundo trimestre de 2012 da Pesquisa de Expectativa de Emprego da Manpower, que revelam os planos de contratação de empregadores de 41 países e territórios. No Brasil, 45% dos empregadores esperam contratar funcionários no próximo trimestre e 6% antecipam diminuição no ritmo de contratações. A Expectativa Líquida de Emprego* do Brasil é de +39%.

O otimismo registrado para o segundo trimestre é mais forte entre os empregadores brasileiros em comparação com o primeiro trimestre do ano, com uma Expectativa aumentando seis pontos percentuais. O resultado é um pouco mais fraco que o registrado no mesmo período do ano, diminuindo um ponto percentual. Empregadores de todos os oito setores e todas as cinco regiões pesquisadas reportarem expectativas de contratação positivas para os próximos três meses.

“Muitos empregadores estão recrutando profissionais para atender a demanda da Copa do Mundo de 2014 – um evento que tem a projeção de criar 700 mil empregos. Empregadores dos setores de Turismo, Logística e Engenharia já estão contratando para preencher posições estratégicas. As empresas que não querem perder oportunidades de negócios para sustentar seu crescimento estão em busca de profissionais talentosos”, diz Riccardo Barberis, CEO da Manpower Brasil. “Como os empregadores esperam manter uma grande atividade de contratações no próximo trimestre, eles também estão preocupados com a crescente escassez de talentos. Encontrar as pessoas certas com as habilidades certas é um dos maiores desafios no mercado de trabalho brasileiro e este desequilíbrio entre oferta e demanda pode contribuir para inflacionar salários no futuro.”

Pelo segundo trimestre consecutivo, as projeções de contratações mais otimistas foram reportadas no setor de Serviços, com uma Expectativa Líquida de Emprego de +55%. A expectativa de contratação é similarmente dinâmica no setor de Administração Pública e Educação e no setor de construção, como expectativas de +46% e +40%, respectivamente. “No Brasil, foram criados quase 2 milhões de empregos formais em 2011 e os setores de Serviços e Construção foram os que tiverem maior atividade. Esse ritmo dinâmico e contínuo de contratações mostra que o Brasil segue para um crescimento sustentável”, afirma Barberis.

Entre as regiões pesquisadas, empregadores do estado do Paraná reportaram a expectativa mais forte, +42%. O resultado é doze pontos percentuais maior trimestre a trimestre e dois pontos percentuais menor ano a ano. Empregadores no estado de Minas Gerais estão similarmente otimistas, reportando uma expectativa de +41%, e a cidade de São Paulo de +40%. Grande aumento de mão de obra também esperado por empregadores nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, com expectativas de +37% e +35%, respectivamente. “Os benefícios trazidos pela Copa do Mundo vão além da construção e reforma dos estádios de futebol nas doze cidades que vão receber o evento. A Copa, assim como as Olimpíadas, terá um impacto relevante em todas as regiões do Brasil”, afirma Barberis.

A pesquisa de mercado de trabalho do ManpowerGroup revela que a Expectativa Líquida de Emprego no Brasil continua a ser a mais otimista entre os países pesquisados nas Américas. As intenções de contratação para o segundo trimestre de 2012 em todos os países pesquisados na região são: Brasil (+39%), Peru (+27%), Colômbia (+18%), Costa Rica (+17%), Panamá (+16%), Guatemala (+15%), México (+15%), Argentina (+14%), Canadá (+13%) e Estados Unidos (+10%).

###

*O termo Expectativa Líquida de Emprego é o resultado obtido da diferença entre as porcentagens de empregadores que antecipam o aumento do quadro de funcionários menos a porcentagem de empregadores que esperam ver uma redução na força de trabalho no próximo trimestre. A pesquisa para o primeiro trimestre de 2012 foi realizada por meio de entrevistas com mais de 65.000 diretores de recursos humanos e gerentes seniores de contratações de organizações públicas e privadas de 41 países e territórios. Como em outros países, uma amostra representativa de 850 empregadores do Brasil foi convidada a responder à pergunta: “Como você antecipa a variação no número total de funcionários em seu local de trabalho nos próximos três meses até o final de Junho de 2012 em comparação ao trimestre atual?”


TAGS: , , , , , ,

Deixe seu comentário

0

Pesquisa inédita de mapeamento da Internet, realizada para a Associação Comercial de São Paulo, ACSP, e concluída em janeiro de 2010, mediante 500 entrevistas com gestores de empresas de todos os segmentos, em São Paulo, mostra que quase 30% das empresas já compram ou vendem pela internet, principalmente as da indústria e do atacado. A pesquisa teve como foco as micro e pequenas empresas (veja descrição da amostra ao final).

Negócios pela internet:

O maior percentual de empresas que fazem negócios pela rede apareceu na Indústria, que também lidera no item de vendas on-line (13%). Os segmentos de Serviços e Comércio Atacadista se destacam nas compras pela internet, com percentuais de 16% e 15%, respectivamente. Gráfico abaixo:

A superintendente de Marketing da ACSP, Sandra Turchi, destaca que entre as empresas que ainda não realizam negócios pela Internet, quase a metade (47%) declara que não o faz por “falta de necessidade de usar esse canal”, mas 19% dizem que falta estrutura ou conhecimento para utilizar as ferramentas de comércio eletrônico. “Na minha avaliação, dentre as empresas que dizem não ter necessidade existe ainda grande desconhecimento sobre as possibilidades que a web oferece. Há muitas vantagens em investir no comércio on-line, uma prova disso é a conversão de grandes redes varejistas para o mundo digital. Porém, há cuidados básicos que devem ser tomados na implantação do negócio, como a seleção de fornecedores sérios é fundamental”, opina Sandra. Gráfico abaixo:

As pequenas empresas citam maior interesse, mas também são maiores as dificuldades por falta de estrutura interna e de conhecimento das ferramentas, conforme manifestado por 24% delas. Gráfico abaixo:

· Das empresas que fazem negócios (30% do total) na Internet, 60% têm loja virtual e 64% das compras são de pessoa jurídica, ou seja, mercado BtoB.

· Do total das empresas pesquisadas, aproximadamente 11% fazem e-commerce, ou seja, vendas BtoC.

· Das empresas que fazem e-commerce, a solução logística mais utilizada, além da própria empresa (15%), são os Correios (15%).

SELO DE SEGURANÇA:

A ideia de um selo que ateste a credibilidade de uma loja virtual é bem aceita entre as empresas que já possuem uma loja deste tipo. Uma fatia de 78% se diz interessada ou muito interessada por ter um selo. “A ACSP está trabalhando nessa questão que impactará em maior credibilidade nas transações on-line através da análise de diversos critérios pré-estabelecidos”, explica Sandra. Gráfico abaixo:

E o interesse pelo selo de segurança nas transações cresce para 83% entre as microempresas. “Isso é compreensível, pois é algo que poderá auxiliá-las no momento da escolha por parte dos clientes, visto que suas marcas são normalmente menos conhecidas do que as grandes redes”, cita Sandra Turchi . Gráfico abaixo:

Em 50% dos casos, as compras são realizadas ou pelo site do fornecedor ou por e-mail. Gráfico abaixo:

Presença na web:

60% da empresas afirmam ter website próprio, variando entre os portes e setores. Gráfico abaixo:

· Entre as que não possuem (40%) site, 20% estão desenvolvendo e 11% citaram o alto custo como principal entrave.

· Entre as que possuem site, 67% já os têm há pelo menos 3 anos, sendo que a indústria demonstra ter há mais tempo.

· Em todos os portes 46% tem site há menos de 6 meses.

Em 70% das empresas foi verificada a preocupação em construir um site que seja localizado pelas ferramentas de buscas na web. Gráfico abaixo:

Metodologia e amostragem:

47% dos respondentes eram donos/proprietários das empresas, 45%, gerentes e 8%, diretores e superintendentes. Considerou-se por categorias e portes:

– 00 a 19 funcionários = Micro

– 20 a 99 funcionários = Pequena

-100 a 499 funcionários = Média

– 500 ou mais funcionários = Grande

Foram entrevistadas 500 empresas, representativas do universo total da cidade de São Paulo, de micro a empresa de grande porte, dos segmentos: indústria, construção, serviços, varejistas, atacadistas e instituição financeira.

TAGS: , , , , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

novidade máquinas exportação IBGE Perspectivas Meio Ambiente Industrial importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo FIESP Investimento meio ambiente sustentabilidade máquinas e equipamentos Lançamento mercado Economia Feimafe tecnologia Feira indústria Site P&S Radar Industrial