Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

A Trumpf participa pela primeira vez da FORIND Nordeste/ Sucronor, que acontece em 5ª edição no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, de 15 a 18 de abril. A empresa alemã, atuante no setor de máquinas para corte, conformação e marcação de metais a laser, possui ampla linha de máquinas e equipamentos utilizados pelos mais diversos ramos da indústria e enxerga grande potencial na região Nordeste, especialmente em Pernambuco.

“A indústria metalmecânica é a base para o desenvolvimento industrial e os grandes projetos em instalação no estado de Pernambuco, tais como refinaria, estaleiros, siderurgia, automotivo, além do potencial para pólo petroquímico e indústria naval, certamente irão impulsionar para o desenvolvimento do país. Queremos nos aproximar destes empresários e contribuir para o crescimento da indústria na região”, afirma João Carlos Visetti, diretor da Trumpf do Brasil.

Para a sua estreia na feira, a Trumpf reservou a máquina de marcação a laser TruMark Station 1000. Com mais de 10% do sua receita anual destinada a pesquisa e inovação, a Trumpf é sempre pioneira no desenvolvimento de lasers para as mais diversas aplicações. Essa intensa atividade de pesquisa permite que a companhia seja capaz de oferecer o laser ideal para cada aplicação. No caso da TruMark 1000, o trabalho de marcação resulta em acabamento excelente em superfícies de metal, podendo ser usado para logomarcas, nomes, códigos e números seriados, de modo fácil e sem a necessidade de softwares adicionais.

Além da estação de marcação laser, serão expostas ainda uma gama de ferramentas portáteis para o corte de chapas e chanfro, entre elas três puncionadeiras elétricas manuais. “A FORIND NE/ Sucronor é a principal feira industrial da região, portanto é uma boa oportunidade de estalebecer novos relacionamentos comerciais”, afirma Visetti. Para o diretor da Trumpf, o Brasil tem vários segmentos pujantes, que precisam investir para não perder terreno para a concorrência internacional. Entre estes, cita toda a cadeia industrial ligada à agricultura, à construção civil e aos transportes, em geral. “O grande desafio da indústria nacional é melhorar a sua produtividade, para isso são necessários investimentos e mão de obra qualificada”, adverte o diretor da Trumpf do Brasil.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

Com três décadas de mercado, a empresa celebra a marca de 1.000 máquinas vendidas e traz dois lançamentos para esta edição da feira

A TRUMPF, companhia de origem alemã, líder mundial na fabricação de máquinas-ferramenta para o processamento flexível de chapas metálicas com o uso do laser, participa da 13ª Feira de Máquinas-Ferramenta-Feimafe (de 23 a 28 de maio,no Anhembi,São Paulo) celebrando o marco da milésima máquina vendida em 30 anos de Brasil. Para exaltar este feito, a empresa reuniu em coletiva de imprensa no Hotel Holiday Inn,dia 24 de maio,em São Paulo,  João Carlos Visetti, diretor geral da TRUMPF Brasil, o diretor da Magius e comprador da milésima máquina, Adilton Cardoso  e o responsável pela venda, Ivo Paulino da equipe comercial da TRUMPF.

A milésima máquina, a Trulaser 3030, foi adquirida no Paraná pela Magius, atuante na produção de peças estampadas e conjuntos montados por solda ou rebitagem, voltados ao segmento de caminhões, ônibus, tratores, equipamentos agrícolas e veículos fora-de-estrada. A Magius é cliente da TRUMPF há cerca de 17 anos.

“Só estou aqui porque estava no momento certo e na hora certa. A TRUMPF tem boa assistência técnica, um grande pós-venda e pessoas comprometidas”, diz Cardoso, justificando a parceria de longa data.

A Trumpf enxerga boas oportunidades em infraestrutura, em conseqüência dos dois grandes eventos sediados no Brasil, a Copa do Mundo e as Olimpíadas, além da percepção de que o consumo de máquinas de corte a laser no País acompanha a trajetória de aquecimento da economia.

Visetti diz ter segurança quanto ao atendimento ao mercado brasileiro, cujo faturamento já representa 3% do total(mundial) da companhia. “A grande preocupação é com a inflação, mas estamos em um momento bastante favorável. Precisamos investir”, completa o diretor.

As perspectivas para esta edição da Feimafe são muito positivas, tendo em vista que nas primeiras horas do dia de abertura da feira, 23 de maio, uma máquina Fiber Laser 5030, que estava em exposição, já foi vendida.

São dois os lançamentos para esta edição da feira. A dobradeira TruBend 7036, com projeto ergonômico que oferece interação entre o operador e a máquina. Ideal para dobrar peças pequenas, pois a máquina assegura maior velocidade ao trabalho graças ao menor peso da sua estrutura construtiva. Há também a TruLaser 5030 Fiber, cujos diferenciais são a produtividade e economia em máquinas de corte a laser 2D de última geração. A TruLaser 5030 Fiber foi lançada mundialmente no EUROBLECH 2010.

TAGS: ,

Deixe seu comentário

0

“A TRUMPF deixou a crise para trás”, afirmou a presidente da companhia, Nicola Leibinger-Kammüller, ao divulgar os resultados do ano fiscal encerrado em 30 de junho de 2010, que prevê crescimento em vendas de mais de 20%até junho de 2011. ”Se a economia mundial continuar a ser poupada de outros choques externos, como a crise cambial ou de crédito imobiliário, então estarei convencida que o tempo das vacas magras passou”.

Tal otimismo é justificado pelo crescente número de pedidos de máquinas recebidos  desde maio. “Comparado aos mesmos meses correspondentes ao ano passado, vemos o duplo dígito aumentar – e acreditamos que esse quadro permaneça assim nos próximos meses”, disse Nicola Leibinger-Kammüller.

No ano fiscal anterior (encerrado em 30 de junho de 2010), ainda assolado pela crise econômica mundial, as vendas da TRUMPF caíram em aproximadamente 19% para um lucro de € 1,34 bilhão, o que significa que a empresa sofreu uma perda, antes dos impostos, de € 59 milhões. Mas, desde a primavera européia, a carteira de encomendas da empresa, em Ditzingen, lotou novamente. Segundo Nicola Leibinger-Kammüller, em alguns mercados a TRUMPF ainda tenta recuperar o volume de vendas pré-crise.

A força do comércio asiático, em particular, está garantindo que todas as curvas da TRUMPF estejam em ascensão. A companhia continuará rentável, especialmente nos mercados em expansão na China, país onde ampliará sua unidade de produção. “Estamos presentes na Ásia há muitos anos”, disse a presidente da TRUMPF. “Com toda a nossa experiência, podemos participar na dinâmica do Extremo Oriente – o que também fortalece nossa posição em casa”.

TAGS: ,

Deixe seu comentário

0

A  Trumpf apresentará novas soluções para todas as tecnologias, como o corte a laser em diferentes espessuras de chapa – principal tarefa da máquina TruLaser 3030 – no estande (C32/1-3) no Hall 11, na Euroblech 2010, feira que acontece em em Hannover- Alemanha, de 26 a 30 de outubro de 201.

E para demonstrar a eficiência da tecnologia Lights Out a TRUMPF lançará, em outubro de 2010, na Euroblech, seu “PalletMaster Tower”, um processo dentro dos padrões de segurança internacional, em vigor na automação.

A filial da TRUMPF no Japão desenvolveu um trocador de pallet com um amortecedor integrado, tornando a TruLaser 3030 uma célula de automação completa. Ela pode ser operada usando um software de laser padrão, que processa diferentes materiais, automaticamente.

Produtos:O PalletMaster Tower, que pode ser instalado em menos de uma semana, foi projetado para formatos de chapa de metal de até 3 m x 1,5 m e espessura de 0,8 mm a 25 mm, está disponível para 6, 10, 15 ou 20 paletes.

Embora seja quase do tamanho de um trocador de pallet regular, ela pode atingir até 6 metros de altura, dependendo do número de paletes empilhados uns sobre os outros.

Uma vez que as chapas e painéis cortados ficam em paletes separados, mesmo materiais sensíveis estarão salvos de riscos e arranhões.

6 kW-laser para maior flexibilidade – A TruLaser 3030 inova mais uma vez em se tratando de processamento de diversos tipos de material. Como será demonstrado na Euroblech 2010, o resistente laser 6 kW CO2 é muito mais rápido em relação à versão atual, de 5 kW – com capacidade de corte de até 10% para o aço de construção e de 15% para aço inoxidável. Além de mais veloz, o laser 6 KW é também mais flexível, permitindo o corte de chapas ainda mais grossas.

E tudo isso mantendo as condições típicas da TruLaser 3030, tais como: alta velocidade, laser com modo de espera customizado, estratégia única no cabeçote de corte – todas elas provadas e aprovadas desde o seu lançamento, no final de 2008.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

O clima de otimismo apresentado pelo setor de máquinas e equipamentos desde março, quando o faturamento alcançou R$ 7,2 bilhões, considerado o maior da história entre todos os meses de março, conforme estatísticas da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Abimaq, se reflete nos negócios já realizados durante o primeiro dia da 28ª Feira Internacional da Mecânica, que acontece até sábado, 15 de maio.

A distribuidora Cosa Intermáquinas fechou a venda de seis máquinas, cujo valor ultrapassa a casa de R$ 1 milhão. Segundo o gerente de vendas da empresa, Alex Fernandes Robi, a expectativa é fechar negócios na ordem de R$ 10 milhões até o final do evento. Para o outro gerente de vendas da Cosa, Daniel Lapastini, responsável pelos negócios com injetoras, a expectativa é vender de 8 a 10 máquinas na Mecânica, tanto para injeção de alumínio como de zamac.

Já o Grupo Bener, distribuidor de máquinas para usinagem, ferramentaria e estamparia, fechou negócios em torno de R$ 200 mil, o que representa 10% das expectativas de vendas até o final do evento, que devem ficar entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões, segundo Paulo Lerner, diretor do grupo.

Lerner diz que a retomada da economia já era sentida antes da feira, mas que o evento vem consolidar este cenário.

Finame-PSI – A tendência de retomada do setor está diretamente ligada às linhas de financiamento do Programa de Sustentação de Investimento, PSI, que teve sua prorrogação anunciada até o final deste ano, com taxas de juros passando de 4,5% para 5,5% ao ano a partir de julho próximo. “O PSI vem estimulando fortemente as vendas de máquinas-ferramenta e isso pode ser visto na feira”, afirma o diretor de vendas da Ergomat, Alfredo Ferrari. A empresa, fabricante de tornos automáticos, também registrou vendas no primeiro dia da Mecânica.

Ferrari ainda destacou a presença de um público altamente qualificado circulando pelo evento logo no primeiro dia. “Isso demonstra o interesse do mercado por equipamentos e máquinas industriais”, comemora. “É uma ótima oportunidade para impulsionar a renovação do parque industrial brasileiro que tem uma média de idade de 17 anos.” Essa percepção também é compartilhada pelo gerente de vendas da Trumpf, Walter Mello, que se surpreendeu com o número de visitas e a qualidade do público presente no primeiro dia. “Ficamos surpresos e muito satisfeitos com o volume de visitação um público qualificado e focado, com amplo interesse em novas tecnologias.”

Fonte: Assessoria de imprensa (Meccanica de Comunicação)

TAGS: , , , ,

Deixe seu comentário

Trumpf ganha selo de cinquentenário

Icone Lançamento | Por em 28 de abril de 2010

0

Neste ano, a Trumpf comemora 50 anos de atividade. Atualmente, o grupo atua em três divisões de negócios: Máquinas-Ferramenta/Ferramentas Portáteis, Tecnologia Laser/ Eletrônicos e Tecnologia Médica. Seu core business é a fabricação de máquinas-ferramenta para processamento de corte, dobra, puncionamento e gravação de metais flexíveis.

Além do selo comemorativo que você vê ao lado, a companhia alemã disponibiliza um site (www.50yearslaser.com) e faz uma edição especial da sua revista “Laser Community”, intitulada “Um sucesso brilhante – 50 anos do laser”, contando desde a sua descoberta por Theodore Maiman, em 1960, até os vários tipos e aplicações – na medicina, na indústria de entretenimento (com seus CDs, DVDs e máquinas copiadoras) e, principalmente, no processamento de materiais.

“O laser é uma realidade cada vez mais presente. Sua aplicação na indústria de corte, solda, marcação e deposição de materiais é uma constante e tende a se desenvolver ainda mais”, afirma Walter Mello, Gerente de Vendas da empresa. Entre essas, ele aponta a solda e a deposição de materiais como as áreas que devem apresentar as maiores novidades nos próximos anos. “São áreas em que o uso do laser tende a crescer e se aperfeiçoar muito”, prevê o executivo.

TAGS: ,

Deixe seu comentário

De volta a 2008

Icone Divulgue esta notícia!,Economia | Por em 10 de setembro de 2009

0

O vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Abimaq, Carlos Pastorizza, falou, em entrevista exclusiva ao jornal DCI, sobre como o pacote de financiamento do governo está auxiliando o setor a retomar as vendas. E que podem, até, chegar aos níveis de 2008. Veja a seguir matéria na íntegra:

Setor de máquinas deve repetir venda de 2008 em dezembro

Os fabricantes de máquinas e equipamentos deverão atingir ainda em dezembro o faturamento médio anotado em 2008, ano fora da curva para o setor de bens de capital. O principal motivo da retomada, segundo o vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastorizza, é o pacote de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Os primeiros sinais de melhora estão aparecendo. Os números de consultas nas empresas estão crescendo. Agora esperamos que isso se materialize no aumento do faturamento”, afirmou ao DCI o executivo da Abimaq.

A utilização da capacidade instalada do setor também já apresentou melhora, chegando a 79% em julho, de acordo com levantamento divulgado ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em junho, o indicador do setor marcou 78,5%. A média de uso da capacidade instalada em julho da indústria brasileira ficou em 79,1%. Em 2008 a média foi de 82,5%.

A produtora de máquinas de corte a laser, a alemã Trumpf, ainda verifica instabilidade em suas vendas, segundo o gerente de vendas da fabricante, Walter Mello. “Agosto, por exemplo, foi um mês muito bom. Mas nesse início de setembro já está diferente”, afirmou o executivo. A expectativa da fabricante é de um terceiro trimestre mais aquecido, mas a retomada real é aguardada para 2010. No Brasil, a fabricante produz ferramentas de máquinas pulsionadeiras, em Barueri (SP).

Segundo o vice-presidente da Abimaq, o pacote de incentivos para o setor deve apresentar mais resultados exatamente nos últimos meses do ano. “A expectativa é que haja um estímulo ao investimento por parte da indústria”, afirmou.

Relatório

Já o faturamento das fabricantes instaladas no Brasil, ainda de acordo com a CNI, cresceu 0,4% em julho, anotando elevação pelo terceiro mês consecutivo. Já no acumulado dos sete primeiros meses do ano, o recuo registrado foi de 8,1%.

Para a confederação, os números refletem melhora da atividade da indústria nacional, mas ainda não demonstram o fim da crise no País, já que a queda na comparação com 2008 ainda é substancial. Apenas no setor de bens de capital, segundo a Abimaq, o faturamento ainda registra queda de 20% nessa base de comparação.

Já o nível de emprego na indústria nacional se manteve praticamente estável no período, anotando crescimento de u 0,2% de junho para julho.

Os fabricantes de máquinas e equipamentos deverão atingir ainda em dezembro o faturamento médio anotado em 2008, ano fora da curva para o setor de bens de capital, segundo informações da Abimaq.

TAGS: , , , , ,

Deixe seu comentário

0

 Nesta semana, a Trumpf iniciou de forma efetiva a caça por um representante na região de Manaus. Os esforços se devem ao plano da fabricante de máquinas-ferramenta destinadas ao processamento de peças em chapas metálicas em ganhar mercado no norte do País.

Para os interessados, a companhia anuncia que terão preferência os experientes no mercado de chapas metálicas. Currículo ou portfólio da empresa devem ser encaminhados para Walter Mello, gerente de vendas, no telefone (11) 4133-3563 ou pelo e-mail walter.mello@trumpf.com.br.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

TruBend 7036: realmente ergonômica

TruBend 7036: realmente ergonômica

Um dos destaques da Trumpf na Feimafe 2009 foi a dobradeira 7036. O equipamento ocupou lugar de destaque no estande da empresa e chamou a atenção dos visitantes. Não seria por menos: a TruBend 7036 ganhou um selo de ergonomia internacional e promete muito conforto ao usuário, mesmo se operada por longas horas. Palavra do fabricante.

“Para alguns equipamentos é muito difícil se alcançar 100% de automação. Eles dependem da interface humana, como é o caso das dobradeiras de pequeno porte”, me contou Bruno Eifler, sócio-gerente da Trumpf Brasil.

Então aceitei o desafio de operar o equipamento e colocar à prova sua excelência. Não fiquei oito horas sentado frente a dobradeira – estudos mostram que a partir deste tempo o usuário apresenta cansaço -, mas minha experiência foi suficiente para comprovar a ergonomia da 7036.

O assento da TruBend pode ser ajustado de acordo com a altura do usuário. Devidamente posicionado – leia-se: pés e braços alcançando pedais e bancada, confortavelmente -, notei que os leads do equipamento oferecem iluminação que não agride os olhos e foca na área de trabalho. Os técnicos da Trumpf destacam ainda que a luz pode ser ajustada de acordo com o local de instalação do equipamento.

A distância entre o usuário e as placas de dobra, separadas pela bancada, é adequada e transmite segurança durante o manuseio. A resposta da dobra à pressão nos pedais é rápida e eficiente.

Depois de aproximadamente um minuto havia dobrado uma chapa de aço de 10x10cm que se transformou em um jipe. A contar por minha habilidade zero com dobradeiras o tempo foi bom, me disseram os técnicos. No entanto, um profissional consegue fazer o mesmo em exatos 19 segundos.

Eifler reforçou que a TruBend 7036 ainda economiza energia, apresenta nível de ruído próximo do zero e ainda emite menor quantidade de calor.

Interessado? Mais informações no site da empresa www.trumpf.com.br

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

Dobradeira TruBend série 7000 (Foto: Divulgação)

Dobradeira TruBend série 7000 (Foto: Divulgação)

Com o tema “Powering Innovation”, a Trumpf apresenta seus lançamentos na Feimafe 2009. A idéia central na inovação de produtos é sempre: produtividade, eficiente das máquinas.

A Trumpf levou o operador em consideração no desenvolvimento de suas dobradeiras. Um ambiente amigável e ergonómico, dois fatores chaves para a produtividade, estão desenvolvidos no design da máquina.

Quando o operador de dobradeira fica cansado, a quantidade e a qualidade das peças fabricadas são prejudicadas. Para evitar isso, os engenheiros de projeto focaram-se na produtividade e ergonomia no desenvolvimento da TruBend Série 7000 (foto). O operador pode trabalhar na máquina sentado e sem ficar excessivamente cansado. O descanso para os pés e suporte para os braços podem ser ajustados individualmente.

O monitor do comando pode ser ajustado eletricamente a uma ângulo apropriado para a melhor visualização. Enquanto um sistema de iluminação testado e aprovado na área médica garante uma iluminação correta, um laser diodo indica a posição da linha de dobra, tornando possível guiar a peça precisamente nos encostos traseiros. A velocidade de dobra pode ser aumentada simplesmente fazendo os ajustes na própria máquina: altas velocidades dos eixos e valores de aceleração das duas partes relevantes da máquina para o processo de dobra, por exemplo, os encostos traseiros e o avental.

Release fornecido pela Trumpf

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

infraestrutura Meio Ambiente Industrial máquinas exportação Perspectivas IBGE importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo Investimento FIESP meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia Feimafe tecnologia Feira indústria Site P&S Radar Industrial