Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

Isac Campos

Isac Campos

O mercado automotivo vem, nos últimos anos, passando por profundas transformações. Segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), a expectativa do setor para 2022 é de crescer 9,4% na produção de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus em relação ao ano anterior. Já quanto aos licenciamentos, é esperada uma alta de 8,5%.

E em um mercado extremamente competitivo, sairão na frente as concessionárias que fortalecerem sua presença digital. É necessário, cada vez mais, haver um processo de digitalização das campanhas, como também um melhor cuidado com os leads, principalmente em relação ao ROI (Retorno sobre Investimento) e o entendimento do aproveitamento do investimento em Marketing na concessionária. A DMC é a única solução do mercado que indica o ROI de Marketing aos Dealers, baseado nos números dos DMSs.

Pensando nessas inovações e na necessidade de adequação urgente que a Lead Force – empresa de marketing digital automotivo que provê soluções digitais para que concessionárias vendam muito mais – anuncia um novo posicionamento estratégico, voltado à inteligência de mercado e dados.

Presente em todos os estados do Brasil, a empresa é líder no setor, atendendo 1050 lojas, mais de 215 grupos de concessionárias de 27 marcas entre carros, motos, caminhões e ônibus. E já está em implantação em outros países.

Nova plataforma DMC

Em 2022 a Lead Force vai ampliar, ainda mais, o oferecimento de inovações tecnológicas e anuncia o lançamento da Dealer Marketing Center (DMC), uma nova plataforma unificada de gestão de marketing, além de novas homologações de montadoras.

A DMC concentra todas as informações necessárias para a gestão e operação de marketing em uma concessionária, provendo inteligência e dados em tempo real para os decisores. “Agora é muito mais fácil extrair informações essenciais para o negócio. A ferramenta disponibiliza análises tanto qualitativas quanto quantitativas, inclusive com comparativos dos meses anteriores”, conta o diretor comercial da Lead Force, Isac Campos.

Um dos focos da ferramenta é centralizar toda a estratégia digital do concessionário. Os leads vindos de canais como redes sociais, site, montadoras e call tracking, entre outros, passam pela DMC e o sistema os envia para o DMS ou CRM utilizados pela loja.

“A DMC irá revelar o caminho que a estratégia digital do dealer está seguindo e, a partir disso, sugerir novas estratégias com foco em menor investimento, mais geração e conversão de leads”, projeta Isac.

Além de receber os leads, a DMC está integrada às contas do Google Ads, Facebook, Instagram, CMS ou site do próprio concessionário, facilitando a análise dos dados para tomada de decisão. A conexão também permite a interação com as redes sociais, inclusive possibilitando a publicação de posts e interações com os clientes.

Os gráficos são outro ponto alto da nova plataforma. Além de mostrarem o desempenho visualmente, todos os dados são analisados, inclusive com um recurso de descrição comparativo. Muito mais inteligência, usabilidade e rapidez para os usuários de negócios.

Com visual mais clean e moderno, a performance é até 50 vezes mais rápida que a versão anterior, graças principalmente à melhor responsividade e a criação e integração de novas APIs. O que, na prática, se reflete em uma maior agilidade na realização de campanhas que possam atrair e fidelizar ainda mais clientes. E todas essas novidades acabam melhorando também a experiência do usuário (UX). Por meio de APIs é possível integrar-se com os principais CRMs e ERPs do mercado.

“Após mais de um ano de esforços e o envolvimento de um time de doze desenvolvedores, nosso maior objetivo é trazer para o cliente inteligência a partir de uma visão mais estratégica de todas as ações realizadas por cada loja. Ter acesso a dados e análises é fundamental para as empresas que desejam crescer e se diferenciar dos concorrentes”, explica Campos.

Oito grupos de concessionárias testam a ferramenta e desde o dia 20 de janeiro os demais clientes passaram a ter acesso à nova plataforma.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

aventicsA líder global de software, tecnologia e engenharia Emerson (NYSE: EMR) colabora com a Colgate-Palmolive Company, a fabricante de produtos de consumo S&P 100 (NYSE: CL), para reduzir o desperdício de energia nas instalações de embalagem de produtos e contribuir a sua meta de atingir emissões líquidas de carbono zero nas operações até 2040. Equipada com dados das tecnologias e análises avançadas de sensor da Emerson, a Colgate já constatou uma redução de 15% no uso de energia em várias linhas de embalagens de pasta de dentes e escovas de dentes e espera uma economia de energia ainda maior à medida que a tecnologia é implementada de forma mais ampla.

O projeto faz parte do programa de transformação digital da Colgate e usa sensores pneumáticos AVENTICS TM especializados e arquitetura de software habilitada para IIoT para monitorar com precisão a vazão de ar comprimido em tempo real para identificar vazamentos, otimizar processos pneumáticos e melhorar a eficiência do fluxo de ar. Devido à forte dependência de sistemas pneumáticos na produção de bens de consumo em grande escala, reduzir a quantidade de
energia associada a ar comprimido contribui não apenas para os esforços de sustentabilidade, mas também para a integridade e confiabilidade geral do equipamento.

“A Colgate é uma empresa inovadora e preocupada com o crescimento, e está reimaginando um futuro mais saudável para todas as pessoas, seus animais de estimação e nosso planeta. Essa colaboração é um excelente exemplo de como o poder da digitalização está nos ajudando a atingir nosso objetivo, atendendo às nossas ambições globais de sustentabilidade e desempenho”, declarou Warren Pruitt, vice-presidente de serviços globais de engenharia da Colgate-Palmolive.
“Economizar energia por meio do monitoramento do fluxo de ar é apenas a ponta do iceberg. Com uma mentalidade de experimentar e aprender, podemos dimensionar lições de sucesso em nossa pegada global e ajudar a atingir nossos objetivos de sustentabilidade.”

Na implementação na Colgate, o Sensor de vazão inteligente AVENTICS série AF2 da Emerson calcula os dados de uso de ar com o software integrado que exibe as tendências e anomalias nos painéis de análise, permitindo que os operadores regulem facilmente as pressões de alimentação 1/3 e detectem vazamentos. A conectividade integrada do sistema facilita a implantação e fornece percepções imediatas no nível de máquina, com capacidade de rede abrindo caminho para monitorar o uso de ar comprimido em toda a empresa.

“Sentimo-nos honrados em trabalhar em estreita colaboração com a Colgate-Palmolive, cuja marca Colgate é encontrada em mais lares do que qualquer outra”, afirmou Mark Bulanda, presidente executivo da divisão de soluções de automação da Emerson. “Projetos como esse comprovam a tecnologia disponível hoje para detectar vazamentos de energia prejudiciais e onerosos, otimizar processos de fabricação e fazer uma diferença mensurável no cumprimento das metas de sustentabilidade.”

TAGS: ,

Deixe seu comentário

0

HoneywellA Honeywell (NASDAQ: HON) anuncia uma nova tecnologia de bateria de fluxo que funciona com fontes renováveis de geração ??- como eólica e solar – para atender a crescente demanda por armazenamento sustentável de energia. A nova bateria de fluxo usa um eletrólito seguro e não inflamável, que converte energia química em eletricidade para armazenar energia para uso posterior, atendendo aos padrões ambientais, de longevidade e de segurança das concessionárias de serviços públicos.

A solução oferece maior flexibilidade e duração estendida para concessionárias de serviços públicos. A bateria armazena energia que pode ser usada quando não há vento ou sol, em caso de queda de energia enquanto as redes elétricas estão em plena capacidade. Ela pode armazenar e descarregar eletricidade por até 12 horas, excedendo a duração das baterias de íon-lítio, que podem descarregar eletricidade por até 4 horas. A bateria foi projetada com componentes recicláveis ??e não se degrada com o tempo, garantindo o desempenho do sistema, e uma tecnologia confiável e de baixo custo por até 20 anos.

“Com esta bateria de fluxo, a Honeywell desenvolveu uma tecnologia inovadora para atender às necessidades futuras de armazenamento sustentável de energia que vão além das tecnologias atuais disponíveis no mercado. À medida que concessionárias e corporações buscam alternativas econômicas para usinas movidas a carvão com as soluções de armazenamento de energia de longa duração, elas estão mudando para metas de energia renovável que funcionam 24 horas por dia para reduzir as emissões de carbono, e a tecnologia da Honeywell pode ajudá-las a chegar lá”, disse José Fernandes, vice-presidente e gerente geral da Honeywell Performance Materials and Technologies para a América Latina.

O equipamento também pode ser combinada com outras tecnologias e fontes de geração renovável para fornecer uma solução de armazenamento de energia integrada e completa para concessionárias e produtores de energia independentes para atender às metas de neutralidade de carbono. O sistema geral também posicionará a Honeywell como um dos primeiros fornecedores de soluções de armazenamento de energia verticalmente integrados de ponta-a-ponta, desde a fabricação de baterias até a integração, controles, sistemas de gerenciamento de energia e contratos de desempenho.

“A Honeywell recentemente se comprometeu a alcançar a neutralidade de carbono em suas operações e instalações até 2035. Esse compromisso se baseia no histórico da empresa de reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa devido à nossa longa história de inovação tecnológica de décadas. Na verdade, cerca de metade do investimento em pesquisa e desenvolvimento de lançamento de novos produtos da Honeywell é direcionado a produtos que melhoram os resultados ambientais e sociais para os clientes e para as comunidades com as quais trabalhamos”, menciona José Fernandes.

A tecnologia de bateria de fluxo será testada nos EUA pela Duke Energy. A Honeywell entregará uma unidade de 400 quilowatts-hora (kWh) para as instalações da Duke Energy em Mount Holly, N.C. em 2022, com o objetivo de implantar um projeto piloto em escala de serviço público de 60 megawatts-hora a partir de 2023.

“Os testes com a Duke Energy nos permitirão implementar essa tecnologia inovadora de armazenamento de energia em escala e trazer ao mercado uma bateria de fluxo revolucionária para atender às crescentes demandas de armazenamento de energia enquanto auxilia as empresas a cumprirem suas metas de carbono neutro”, disse Fernandes.

Mais informações: https://www.honeywell.com/br/pt 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

minutoPara seguir difundindo as informações mais recentes sobre a NR12 (norma regulamentadora de Segurança no trabalho em máquinas e equipamentos) de uma forma mais didática, dinâmica e simples, a Schmersal lançou no  dia 11 de janeiro a nova temporada do podcast “Minuto do Especialista Schmersal”. A iniciativa é parte do compromisso da empresa de compartilhar conteúdos e informações que contribuam para garantir operações seguras nas mais diversas e exigentes instalações industriais. O conteúdo seguirá disponível nas plataformas Anchor, Breaker, Google Podcasts, Apple Podcasts, Overcast, Radio Public, Spotify, Pocket Casts e Deezer e pode ser ouvido gratuitamente de acordo com a preferência de cada usuário.

O novo canal de podcast está previsto para ter novos episódios a cada quinze dias ao longo do ano para que os ouvintes possam atualizar seus conhecimentos, estar a par de todas as novidades ou mudanças em diretrizes normativas e esclarecer as principais dúvidas sobre o tema. Por meio de um bate-papo entre o apresentador e José Amauri Martins, um dos principais nomes no Brasil quando se fala em NR12, temas do dia a dia e requisitos de Normas Regulamentadoras brasileiras são devidamente desmistificados e esclarecidos de forma leve e simples.

Para elaborar o conteúdo do podcast, a Schmersal disponibiliza seus diversos canais para receber perguntas de profissionais da área de segurança, que são respondidas por José Amauri Martins. “Como a NR12 é muito ampla e aborda vários pontos, isso faz com que haja muitas dúvidas. Por isso, criamos esta série para auxiliar os profissionais de uma maneira mais clara e fácil e buscamos saber quais são as dúvidas deles para ajudá-los”, explica Martins.

O especialista Schmersal José Amauri Martins é o responsável pelo treinamento em NR12, com mais de 20 anos de experiência e carreira na empresa, além de ter sido um dos participantes responsáveis pela revisão da Norma Regulamentadora NR12 em 2010. Também é membro da Comissão de Normas de Segurança da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), da Comissão Permanente de Negociação da Indústria Metalúrgica do Estado de São Paulo, da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

O podcast “Minuto do Especialista” tem como objetivo não apenas dar continuidade ao compromisso de compartilhar conteúdo sobre normas e operações seguras nas indústrias, mas também consolidar o posicionamento da Schmersal de buscar interagir com o público por meio de um amplo portfólio de infoprodutos. O intuito com a disponibilização de conteúdo em áudio digital é torná-lo ainda mais acessível, podendo ser ouvido em qualquer lugar e momento, como no trabalho ou trânsito, por exemplo. “Há alguns anos a Schmersal tem recorrido à elaboração e disponibilização de conteúdos por meio de iniciativas como blogs, podcasts, e-books e webinars relacionados a diversos assuntos que permeiam suas áreas de atuação. Fazemos isso tanto em relação segurança industrial, normas regulamentadoras como a NR12 quanto a outros temas como segurança em áreas classificadas, por exemplo, e o retorno dessa iniciativa tem sido muito positivo”, afirma Felipe Bernardo, Especialista em Marketing Digital da Schmersal.

Além do podcast “Minuto do Especialista”, a Schmersal promove o compartilhamento de informações sobre esta norma por meio de outros canais. Um deles é o Blog NR12 sobre o que é esta Norma, como saber se a máquina atende aos seus requisitos, por que adequar o maquinário, quem procurar para iniciar o processo de adequação e muito mais. Outro é a Plataforma online de treinamentos, iniciativa da Academia Schmersal Digital que oferece um curso via Internet sobre princípios básicos para implementar a NR12, com carga de quatro horas e ideal para complementar a capacitação de profissionais de segurança industrial para atender às especificações técnicas exigidas pela norma.

Para acessar o podcast “Minuto do Especialista Schmersal”, basta clicar no link https://bit.ly/3zGeE65

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

absolarAcaba de ser sancionada e publicada a lei para a geração própria de energia renovável no Brasil. Com regras claras e bem definidas, o texto cria um marco legal estável e equilibrado para o uso de fontes limpas e sustentáveis, como a solar fotovoltaica, na geração própria de eletricidade em residências, pequenos negócios, terrenos, propriedades rurais e prédios públicos. Também reforça a atratividade da tecnologia fotovoltaica para todos os consumidores brasileiros.

A avaliação é do presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Rodrigo Sauaia. Segundo o dirigente, a nova Lei traz mais segurança jurídica ao setor e deve acelerar os investimentos em novos projetos fotovoltaicos pelo território nacional. “A geração própria de energia solar é atualmente uma das melhores alternativas para fugir das bandeiras tarifárias e, assim, aliviar o bolso do cidadão e do empresário neste período de escassez hídrica”, diz. “O crescimento do setor fotovoltaico é também fundamental para a retomada econômica e sustentável do País, pois trata-se de uma fonte que gera muitos empregos de qualidade, com uma energia limpa, abundante e acessível”, acrescenta.

O texto traz segurança jurídica ao manter as regras atuais até 2045 para os pioneiros e novos pedidos feitos nos próximos 12 meses. Também prevê um período de transição para quem entrar após os 12 meses com o pagamento escalonado da Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD fio B). Além disso, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e a ANEEL têm 18 meses, a partir da publicação da Lei, para estabelecer as diretrizes e a valoração dos custos e benefícios da geração distribuída a serem implementados após o período de transição.

Segundo análise da entidade, as regras brasileiras a serem estipuladas após o período de transição, com base nas diretrizes do CNPE e nos cálculos da ANEEL, terão impacto positivo na continuidade do crescimento de sistemas de geração própria no Brasil, devendo considerar de forma correta todos os benefícios que a geração própria proporciona ao sistema elétrico nacional, à sociedade brasileira e ao meio ambiente.

Para os novos sistemas de geração própria que protocolarem a solicitação de acesso até janeiro de 2023, as regras de compensação atuais serão mantidas até o final de 2045. Caso a solicitação de acesso seja feita entre janeiro e junho de 2023, haverá uma regra de transição com a cobrança gradual e progressiva da componente Fio B da TUSD até 2030. Já os sistemas que protocolarem no período seguinte também passarão por uma cobrança progressiva da TUSD, uma transição que durará apenas até 2028. Nos anos subsequentes, serão aplicadas as regras estabelecidas pela ANEEL seguindo as diretrizes definidas pelo CNPE.

Como as cobranças das componentes que remuneram a distribuição serão menores nos primeiros anos, o impacto no tempo de retorno sobre o investimento (payback) é suavizado para sistemas com prazo de implantação mais próximos. Para um sistema de geração própria de energia solar com 8,5 kWp, por exemplo, a diferença percebida após a aprovação do marco legal é pequena, variando entre 5 e 6 meses apenas.

“Por mais de dez anos, as regras brasileiras permitiram a compensação integral dos créditos de energia da geração própria renovável. Quando comparamos as novas regras brasileiras com as boas práticas internacionais, o Brasil fica bem posicionado no apoio à geração própria a partir de fontes renováveis”, comenta a vice-presidente de geração distribuída da ABSOLAR, Bárbara Rubim.

 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

rockwellRockwell Automation apresentou, durante a Automation Fair, as principais novidades relacionadas à tecnologia e inovação na indústria. A 30ª edição da feira, aconteceu de maneira virtual e presencial, no George R. Brown Convention Center, e ainda está disponível sob demanda.

O estande de inovação trouxe os mais novos produtos, soluções e serviços em automação industrial e transformação digital. As tecnologias foram expostas por meio de demonstrações e atividades. Além disso, o evento contou com a expertise de especialistas disponíveis para debater as principais soluções disponíveis para aprimorar as operações e atender às exigências do ambiente de fabricação nos próximos anos.

Uma das inovações apresentadas na feira, foi a linha de contatores, utilizada normalmente para controlar cargas em um circuito de potência a partir de um circuito de comando. Ideal para aplicações industriais, essa linha realiza partida direta em motores trifásicos. Para ilustrar, foi exposto no evento, um grande display para demonstrar perfeitamente a aplicação desta tecnologia.

De acordo com o gerente comercial de Projeto da Rockwell Automation, Colton Gerling, o objetivo da tecnologia é manter o tempo de atividade alto, e o tempo de inatividade não planejado baixo. “Nossa linha de contatores cód. cat. 100-C oferece economia de espaço e design de alto desempenho em contatores de 9 a 97 A. Desta forma, os contatores de baixo consumo de energia são projetados para controlar motores e outras cargas”, explica.

Outra atração de destaque abordada durante a feira, foi a realidade virtual. A Rockwell Automation trouxe à tona a experiência de comissionamento virtual. Segundo Gerling, o comissionamento virtual permite realizar simulações realistas adiantando várias atividades de comissionamento antes mesmo da implantação física do sistema.

O comissionamento virtual permite acelerar a implantação de projetos de automação, por meio da validação dos sistemas com base em modelos 3D. “Podemos realmente nos colocar dentro da experiência dentro da falsa linha de manufatura virtualizada. Desta forma, é possível obter uma visão da fábrica, das máquinas funcionando, como se estivessem no plano real”, finaliza o executivo.

No total, a Automation Fair contou com 10 fóruns industriais, com painéis de discussão de líderes especialistas do setor, incluindo automotivo e de pneus; química; descarbonização e energias emergentes; alimentos e bebidas; ciências biológicas; metais, mineração e cimento; OEM; petróleo e gás; potência e energia, além de águas residuais. Para mais informações, acesse o site.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

clovisPrepare-se para conhecer um homem corajoso, inovador e apaixonado por futebol. Este é Clovis Tramontina, presidente da maior fabricante de cutelaria do ocidente. Em biografia inédita, é possível conhecer a trajetória de vida do executivo a partir de histórias que o tornaram uma das figuras empresariais mais emblemáticas do país.

Clovis Tramontina – Paixão, força e coragem, lançamento da Editora AGE, apresenta a visão do empreendedor para além do mundo dos negócios e relata que a aptidão de Clovis para ideias criativas começou ainda na infância.

Desde muito cedo, frequentou os corredores da companhia fundada pelo avô, Valentin, há 110 anos, na cidade de Carlos Barbosa, interior do Rio Grande do Sul. Com apenas oito anos, criou o time de futsal Real, que depois se tornou a premiada ACBF (Associação Carlos Barbosa de Futsal).

Em 1980, aos 25 anos, levou o talento para os negócios à Tramontina. Trabalhou com vendas por mais de uma década e, aos 36, foi promovido a presidente da empresa. Na época, a marca, que era conhecida apenas no Rio Grande do Sul, tinha grande número de concorrentes.

Clovis, com uma capacidade criativa ímpar, fez do marketing o maior aliado para expandir os negócios. Com forte investimento em propagandas na grande mídia, a Tramontina se tornou conhecida e admirada por milhões de brasileiros. Tornar a empresa da família uma das favoritas no país foi apenas um dos grandes desafios da vida do gaúcho.

Anos mais tarde, em 1986, recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla, uma doença degenerativa. Os sintomas, como a perda parcial da visão e a limitação da mobilidade, o motivaram ainda mais a expandir a multinacional. Hoje, a Tramontina é uma potência mundial presente em 120 países.

Com endossos de Luciano Huck, Luiza Helena Trajano, José Galló, Décio Lima e Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, a obra retrata a visão de mundo de um homem apaixonado pela vida, que nunca se deixou abalar pelas dificuldades.

Ficha técnica

Livro: Clovis Tramontina – Paixão, força e coragem
Editora: AGE
Preço: R$ 58,00
ISBN: 978-65-5863-074-6
Formato: 16 x 23 cm
Páginas: 347
Onde encontrar: Editora AGEAmazonMagazine Luiza e Livraria Cultura

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

termotecnica1111A Termotécnica  expõe na Tecnovitis 2021, em Bento Gonçalves (RS), as embalagens iPack (intelligent packaging) desenvolvidas especialmente para a conservação e o transporte de garrafas de vinhos com alta proteção. A companhia também está apresentando na feira toda a sua linha DaColheita para uva, maçã, morango, kiwi, pitaya e frutas de caroço como pêssego, ameixa e nectarina. Essas conservadoras mantêm a qualidade e o frescor das frutas do campo à mesa do consumidor.

Realizada de 1º a 3 de dezembro, a Tecnovitis reúne expositores e especialistas em tecnologias e produtos ligados à viticultura, para um público de produtores, fornecedores e profissionais da cadeia produtiva da uva. “Os contatos durante a feira são importantes e uma excelente oportunidade para apresentarmos os benefícios das nossas soluções de embalagens para produtores de uvas e demais frutas, vinícolas, distribuidoras, exportadoras e outras empresas envolvidas no setor”, afirma o diretor superintendente da Termotécnica, Nivaldo Fernandes de Oliveira.

Os modelos iPack para 6 garrafas e para 1 garrafa são muito aderentes à comercialização de vinhos por e-commerce. A pandemia contribuiu para que os brasileiros adotassem o e-commerce como principal opção na hora da compra. De acordo com informação do Neotrust, o e-commerce faturou R$ 74,76 bilhões nos seis primeiros meses de 2021, alta de 37% em relação ao mesmo período do ano passado.

Frente ao cenário de crescimento do varejo digital, o EPS tem sido uma excelente alternativa de embalagens para produtos de alto valor agregado, como o mercado de vinhos premium por conferirem alta proteção e isolamento térmico. De acordo com Nivaldo de Oliveira, “as embalagens iPack proporcionam ao cliente ganhos de processos consideráveis, possibilidades de comercialização pelo e-commerce, além de garantir total integridade e funcionalidade do produto para o consumidor”.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

43Os sistemas de resfriamento a água para cortadores a plasma (PAC) usam água e líquido refrigerante, uma bomba, mangueiras de resfriamento e um permutador de calor para remover a energia da fonte de calor. Esse artigo abordará cada um desses componentes e descreverá procedimentos de localização de defeitos e de manutenção.

Mas antes disso, vale ressaltar que uma tocha a plasma, como um motor, é resfriada por uma combinação de radiação, convecção e condução.

“A energia sai do arco na forma de raios ultravioletas intensos. O calor converge para fora da tocha e das peças da tocha por meio do gás ou ar em movimento. E, por fim, o sistema de resfriamento a água conduz o calor para longe das peças da tocha para o líquido refrigerante”, explica Edson Urtado, gerente de vendas da Hypertherm.

Tocha a plasma

As tochas a plasma que operam a 100-150 A e além (15 kVA) exigem resfriamento a água, para evitar o superaquecimento da tocha e das peças.

Líquido Refrigerante

O líquido refrigerante da tocha é uma mistura de água deionizada, etileno ou propileno glicol para baixar o ponto de congelamento.

Motor da bomba

Em geral, os motores e bombas nos sistemas a plasma são acoplados diretamente. Normalmente, a durabilidade de um motor é longa, a menos que haja obstruções no sistema que façam com que o motor e a bomba trabalhem com dificuldade.

Linhas de resfriamento

As linhas de resfriamento são mangueiras que transportam o líquido refrigerante para e da tocha a plasma. Elas normalmente também incluem os cabos de alimentação CC.

Fluxostato

Os fluxostatos são projetados para evitar uma falha catastrófica da tocha e das peças caso o fluxo do líquido refrigerante esteja baixo.

Filtros

A maior parte dos sistemas usa um filtro de partículas para remover a contaminação do líquido refrigerante da tocha.

Permutadores de calor

Os permutadores de calor para sistemas de resfriamento a plasma geralmente são compostos por uma combinação de radiador e ventilador. Os ventiladores direcionam o fluxo de ar pelo radiador para remover o calor do líquido refrigerante da tocha.

Reservatórios de líquido refrigerante

O reservatório de líquido refrigerante é um tanque de plástico ou metal para armazenar o líquido refrigerante da tocha.

Localização de defeitos do sistema

Aqui está um guia passo a passo para verificar o fluxo de líquido refrigerante adequado e localizar defeitos ou problemas no fluxo.

CUIDADO! Sempre leia o seu manual do operador e conheça todas as precauções de segurança antes de realizar a manutenção e a localização de defeitos em um sistema a plasma.

• Remova as peças da tocha: Ao localizar os defeitos, comece pela tocha. Remova os consumíveis e verifique se há sinais de superaquecimento, contaminação ou danos.

• Ligue a bomba do líquido refrigerante. O líquido refrigerante deve fluir diretamente do centro do tubo de resfriamento para a tocha.

• Meça o fluxo de suprimento de líquido refrigerante para a tocha: use um balde para coletar o líquido refrigerante que é descarregado do tubo de refrigeração. Colete o líquido refrigerante com um intervalo de 30 segundos, então desligue a bomba. Meça o volume de líquido refrigerante em galões ou litros. Converta esse volume para uma faixa de fluxo, dividindo os galões coletados pelo intervalo de tempo (meio minuto) para obter a medida de galões por minuto (gpm) ou litros por minuto (lpm). O fluxo em uma tocha desobstruída (sem as peças) deve exceder bastante as especificações do fabricante. Se não for o caso, verifique os seguintes fatores:

• Pressão da bomba muito baixa – ajuste a bomba.

• Filtro de tela na bomba obstruído – limpe.

• Obstrução da linha de suprimento da tocha ou tocha.

• Monte a tocha novamente: Usando peças novas e limpas, monte a tocha novamente. As peças devem estar posicionadas corretamente para uma sincronização correta de verificação de fluxo.

• Meça o fluxo de retorno do líquido refrigerante a partir da tocha: a faixa de fluxo do líquido refrigerante deve ser medida no retorno ao reservatório de líquido refrigerante. Desconecte a mangueira de plástico do tanque do líquido refrigerante. Novamente, use um balde para coletar a água em um intervalo de 30 segundos, então desligue a bomba. Converta a medida para gpm. Se a faixa de gpm não exceder as especificações do fabricante, verifique os seguintes fatores:

• Pressão da bomba muito baixa – ajuste a bomba.

• Obstrução da linha de retorno do líquido refrigerante ou tocha.

• Radiador obstruído – use um lavador de alta pressão para limpar ou troque.

• Filtro de papel obstruído – troque ou remova para localizar os defeitos.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

RudolphJPGRudolph Usinados, de Timbó (SC), concluiu a implementação de projeto que aumentará a produtividade das células dedicadas ao mercado automotivo, para o qual se destina 60% da produção da indústria de componentes mecânicos. Intitulada “Hands-on: Aprendendo Fazendo”, a estratégia faz parte de um amplo programa que busca alavancar alianças para o setor automotivo, dentro do chamado Rota 2030, do governo federal, e tem como focos o aumento da competitividade e o desenvolvimento tecnológico do setor. Realizado com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública brasileira de fomento, e consultoria do Senai/SC, o trabalho tem por eixo a aplicação de metodologias Lean Manufacturing (ou “manufatura enxuta”) no processo fabril.

Escrito no ano passado, no auge da pandemia, e submetido ao Rota 2030 para validação, o projeto recebeu subsídio de R$ 120 mil para sua concretização. Foram 600 horas de consultoria às equipes envolvidas, entre fevereiro e outubro de 2021. “Concluímos o trabalho com sucesso e atingimos as metas estabelecidas”, comemora Zico Rezini, diretor de Operações da Rudolph unidade de Timbó. Entre as etapas do projeto, o executivo destaca a otimização da operação logística e a resolução de desvios identificados no processo, como parte da estratégia para ampliar a eficiência da fabricação. “As ações permitiram ganhos de produtividade sobre gaps de alta complexidade, utilizando desde ferramentas Lean Manufacturing até a simulação computacional, que auxiliou com a digitalização das proposições e trouxe segurança ao processo de implementação”, ressalta o diretor.

“Esse tipo de parceria é fundamental para o desenvolvimento da indústria. Com o apoio do Rota 2030 e a competência técnica do Senai, foi possível maximizar os resultados na área produtiva, gerando impactos que vão além dos ganhos financeiros e estão alinhados com a busca da excelência operacional”, avalia Rezini. A capacitação dos profissionais da Rudolph em torno das ferramentas de Lean Manufacturing permitirá que o resultado seja replicado em outras células produtivas e na área de logística.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

infraestrutura Meio Ambiente Industrial máquinas exportação Perspectivas IBGE importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo Investimento FIESP meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia Feimafe tecnologia Feira indústria Site P&S Radar Industrial