Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

mineracaoO segmento de mineração é responsável, segundo o Ministério de Minas e Energia, por cerca de 2,5 % do PIB brasileiro, com um faturamento que atingiu R$ 209 bilhões em 2020, superando as expectativas, principalmente por conta das exportações de minério de ferro e ouro. Mas os desafios enfrentados pelo setor, no que se refere à infraestrutura, são imensos. Ambientes hostis, necessidade cada vez maior de contar com tecnologias que otimizem e reduzam os custos das operações, além da segurança dos trabalhadores são apenas alguns deles.

Hélio Sugimura, gerente de marketing da Mitsubishi Electric, aponta como a automação no ambiente operacional é a melhor solução para enfrentar alguns desafios. No webinar “Aplicando a automação em processos de mineração”, que acontece no próximo dia 19 de outubro, às 9h30, Sugimura irá mostrar como soluções robustas e confiáveis, podem oferecer melhoria operacional, segurança, confiabilidade e redução de custos, otimizando os processos neste segmento.

Saiba como soluções de automação e acionamentos oferecidas pela Mitsubishi Electric podem contribuir para que o setor supere ainda mais as expectativas do mercado, confirmando a sua posição como um dos segmentos mais promissores para a consolidação e o fortalecimento da economia do País, segundo estimativas do Ministério de Minas e Energia.

Inscreva-se gratuitamente em: https://conteudo.br.mitsubishielectric.com/webinar11-2021

Anote na agenda
Webinar gratuito: Aplicando a automação em processos de mineração
Data: 19/10, às 9h30
Link para inscrição: mitsubishielectric.com.br/webinars

Será concedido certificado aos participantes com permanência superior a 70% do tempo total da sessão ao vivo, estimada em uma hora.

Para aqueles que não conseguirem acompanhar a sessão ao vivo, a gravação do webinar ficará disponível a partir do dia seguinte, junto com webinars anteriores: mitsubishielectric.com.br/webinars

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

pexels-tima-miroshnichenko-6266702A FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) lança hoje (13) em redes de TVs abertas e fechadas sua campanha de marketing para alertar e orientar a população a se prevenir de fraudes intitulada Pare & Pense #Pode ser Golpe. A campanha, criada pela agência iD\TBWA, trará informações e dicas para que clientes bancários se protejam de golpes aplicados por criminosos atualmente, como o do falso motoboy, da troca de cartão, de pedidos de dinheiro pelo WhatsApp e da falsa central ou do falso funcionário de banco.

Os filmes poderão ser vistos a partir de hoje nos intervalos comerciais da TV Globo, GloboNews, CNN, Record, SBT, Band e Rede TV, e ações de merchandising em programas como Encontro com Fátima Bernardes, Programa do Ratinho, Cidade Alerta, Brasil Urgente, Hoje em Dia, Os Donos da Bola, A Tarde é Sua e Encrenca.

Com uma paródia da música “Pare”, de Zezé Di Camargo e Luciano, a campanha joga luz para um assunto sério em tom leve, apresentando três versões de peças para a TV: uma com dicas para golpes em geral, outra para alertar sobre golpes que usam o aplicativo de mensagens WhatsApp e uma terceira versão que abordará o golpe da Falsa Central Telefônica de bancos.

“Pare! Até quando você vai cair nesses golpes na vida? Pare! Sua grana e sua senha jamais podem ser divididas. Tem malandro de olho na gente. Se pedir dinheiro, diga não. Então, pare! Não dê mole para ladrão”, diz um dos trechos da peça publicitária .

“Esta campanha é um bom exemplo de como o marketing pode ser corretamente usado para levar informação importante às pessoas e garantir a segurança dos clientes, que sempre foi prioridade do setor bancário, tanto que os bancos investem cerca de R$ 2,5 bilhões por ano em cibersegurança”, diz Isaac Sidney, presidente da FEBRABAN. “Trabalhamos há décadas para garantir a tranquilidade dos nossos clientes em suas transações financeiras cotidianas e estamos lançando mais uma campanha massiva, desta vez para conscientização e orientação da população a se prevenir contra fraudes”, complementa.
Foto: Tima Miroshnichenko

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

Hypertherm 3Algumas oficinas não possuem um cronograma regular de manutenção para seus sistemas de corte a plasma. Após um período de negligência, a máquina provavelmente não funcionará da forma esperada. Isso pode gerar um prejuízo financeiro para a empresa, já que o custo por hora de ocupação das máquinas de corte a plasma chega a uma média de até US$ 200. 

Sem a manutenção preventiva, as peças mecânicas se desgastam prematuramente, causando aspereza nos movimentos da máquina. Isso pode acarretar peças fora de tolerância e reduzir a qualidade de corte, especialmente nas altas velocidades.  Diante desse cenário, a Hypertherm preparou um guia com 12 dicas que servem como um ponto de partida para a manutenção preventiva:

1.      Limpe o corpo da tocha: remova as peças da tocha e examine o interior da tocha. Verifique se há sinais de danos mecânicos nas roscas. Limpe o interior da tocha com limpador de contatos elétricos e um cotonete. Desconecte a tocha do tubo de montagem e deslize o tubo de volta para revelar as conexões do cabo da tocha. Verifique se há vazamentos nas conexões;

2.      Limpe os cabos da tocha: tire o pó metálico e a sujeira acumulada de toda a extensão dos cabos da tocha. Verifique se há mangueiras torcidas ou desgastadas, cabos expostos, conexões rompidas ou outros danos;

3.      Limpe a fonte de alimentação: exclua o pó metálico acumulado usando ar de compressor seco e limpo. Cheque os filtros de ar no invólucro da fonte de alimentação e troque-os se necessário;

4.      Verifique os componentes da refrigeração da tocha: nas tochas resfriadas por água, avalie a corrente do líquido refrigerante no tanque e veja se há sinais de ar aspirado ou fluxo reduzido. Certifique-se de que o fluxo de retorno respeita a vazão de galões por minuto. Veja se os fluxostatos na linha de retorno funcionam corretamente — fluxo de líquido refrigerante insuficiente pode causar o superaquecimento da tocha. Verifique os filtros do líquido refrigerante e os filtros da bomba e limpe ou troque se necessário. Veja a resistividade do líquido refrigerante usando um medidor de condutividade. Na maioria dos sistemas, a resistividade não deverá exceder dez micro-ohms. Enxágue e reabasteça o líquido refrigerante a cada seis meses;

5.      Verifique a qualidade da água: a dureza da água não deve exceder 8,5 ppm ou 0,5 grãos. Use um amaciante de água comercial, se necessário. Se a água da mesa estiver altamente contaminada com escória e pó metálico, poderá haver dificuldades na partida da tocha de plasma;

6.      Verifique o plasma: para checar a qualidade do ar, segure um papel limpo sob a tocha enquanto limpa o ar do sistema no modo TEST. Verifique se há água, névoa de óleo ou contaminação de partículas. Observe os filtros toda semana; esvazie os coletores de umidade sempre que acumularem água;

7.      Limpe os componentes da máquina— trilhos, engrenagens, cremalheiras e afins. Use um agente desengordurante e uma esponja abrasiva para remover gordura, sujeira e pó metálico. Lubrifique as engrenagens com lubrificante seco, como pó de grafite. Se os rolamentos apresentarem conexões com graxa, lubrifique-as. Não lubrifique as seções dos trilhos;

8.      Nivele e alinhe os trilhos: verifique as juntas onde as seções dos trilhos se unem com um pedaço de aço temperado ou outra ferramenta de precisão com borda reta, para ver  se há desalinhamento. As distâncias entre os trilhos devem ser constantes em toda a extensão do sistema;

9.      Alinhe e ajuste as engrenagens e os rolamentos: ajuste o alinhamento da engrenagem para remover a folga entre as engrenagens e as cremalheiras. Faça esses ajustes para os acionamentos transversais e dos trilhos. Os rolamentos do alinhamento devem ter folga mínima entre eles e as superfícies dos trilhos ou trilhos transversais. Ajuste até que não seja possível ver luz entre o rolamento e a superfície do trilho. Não aperte demais. Com as engrenagens do acionamento desencaixadas, role a trave pelos trilhos para verificar se estão unidos. Ajuste corretamente, até que a trave role livremente com vibração mínima e pouca resistência;

10.  Verifique o enquadramento da tocha em relação à mesa e a peça de trabalho e o dispositivo de montagem da tocha: as colisões podem tirar as tochas do esquadro e desalinhá-las da peça de trabalho. Isso pode gerar vibração, levando a um corte ondulado;

11.  Verifique os limites de segurança: eles precisam operar adequadamente para garantir a segurança do operador e evitar danos à máquina. Mova a máquina para cada limite para testar as chaves. Veja se ela pára quando alcança cada chave. Inspecione as travas mecânicas para ver se estão funcionando corretamente;

12.   Ajuste o controle e os motores de acionamento: o ajuste do motor de acionamento pode ser necessário se os motores parecerem fora de sincronia — a tocha pode não retornar a sua posição de retorno, ou pode haver imprecisões nas peças de corte, especialmente em movimentos de combinação onde os acionamentos x e y estão em operação. As velocidades de cada eixo precisam ser iguais para o correto posicionamento da tocha. O deslocamento do motor também deve ser minimizado.

Acesse: https://www.hypertherm.com/pt

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

pexels-anna-tarazevich-5483017De outubro até o final do ano, a DHL Express receberá doação de lenços em suas 13 lojas próprias no Brasil para serem entregues ao Banco de Lenços, do Instituto Quimioterapia e Beleza. A iniciativa é parte da campanha em apoio ao Outubro Rosa, considerado o mês de conscientização sobre o câncer de mama.

“As mulheres que estão passando por essa situação delicada têm toda nossa solidariedade. Queria lembrar que cerca de 95% dos casos de câncer de mama diagnosticados no início têm chance de cura. É muito importante consultar o ginecologista anualmente e fazer a mamografia. Já apoiamos o importante trabalho do Banco de Lenços há quase dois anos, com o transporte de mais de 2 mil deles pelo país, e acreditamos que a iniciativa é uma forma muito carinhosa de promover a autoestima de mulheres que estão em tratamento. O lenço não é só um acessório bonito. Carrega uma mensagem de incentivo para a recuperação”, diz Mirele Mautschke, presidente da DHL Express.

Segundo Deborah Duarte, presidente do Instituto Quimioterapia e Beleza, a DHL Express presta um serviço fundamental para a continuidade do trabalho. “A ideia dessa nova iniciativa é ampliar os pontos de coleta de lenços e o acesso de quem deseja contribuir com nossa causa. Um lenço doado, novo ou usado, representa um gesto de apoio e força a essas mulheres. Entregar um lenço na casa de cada uma é como dizer: estamos juntas, receba esse carinho pois você não está só.”

Foto: Anna Tarazevich

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

Offshore

Apenas um litro de óleo lubrificante comum usado pode poluir um milhão de litros de água; ou formar uma película de 5000m², causando assim, consequências desastrosas para o meio ambiente. Dessa forma, o setor de Offshore vem buscando uma nova forma de garantir o funcionamento dos maquinários sem atingir a fauna e flora dos oceanos.

Além disso, a indústria Offshore tem a questão ambiental em suas normas regulatórias, o que impulsionou o desenvolvimento de novas tecnologias, mais eficientes e ecológicas. Uma destas tecnologias inovadoras são os lubrificantes especiais biodegradáveis da Kluber e Rocol. “As instalações Offshore cresceram muito e muito rápido. Infelizmente, o número de acidentes também. Para evitar danos graves ao meio ambiente, os países exigem que as empresas utilizem produtos que, caso vazem, não provoquem um dano muito grande aos animais e aos corais da região”, explica Luiz Maldonado, CEO da Lubvap, distribuidora de soluções de lubrificação.

Os lubrificantes ecológicos, como são chamados os óleos utilizados para garantir alto desempenho das máquinas, são desenvolvidos com substâncias químicas que permitem que sejam decompostas por microrganismos. Trata-se de um produto que passa por testes em laboratórios certificados e 60% do material de sua composição precisa desaparecer em até 28 dias. “Além de biodegradáveis, os lubrificantes ecológicos mantêm a sua performance igual ao comum e necessitam de menos produtos para entregar a mesma eficiência”, completa Luiz.

Um dos principais agentes contaminantes presentes nos lubrificantes comuns são os metais pesados, tóxicos aos seres vivos. O óleo lubrificante comum contém elevados níveis de hidrocarbonetos e de metais – ferro, chumbo, zinco, cobre, crômio, níquel e cádmio que, quando descartados de forma errada ou vazados, podem ser absorvidos pelos tecidos animais e vegetais, o que causa também um grave perigo para a saúde pública.

Estima-se que cerca de 25 milhões de toneladas são despejadas nos oceanos todo ano, segundo a International Solid Waste Association (Associação Internacional de Resíduos Sólidos). Deste número, 80% são provenientes das cidades e 12,5 milhões de toneladas são plásticos. Os impactos são ambientais, econômicos, turísticos e na saúde.

 

Acesse: www.Lubvap.com.br

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

veracelTendo a sustentabilidade como premissa de seu negócio, a Veracel, empresa de celulose localizada na região Sul da Bahia, além de ser autossuficiente energeticamente em sua produção industrial, tem como segunda fonte de receita a oferta de energia limpa para outras empresas da região. Com uma operação consolidada de reciclagem de resíduos – são utilizados materiais da própria produção de celulose, caroço de açaí e bagaço de cana de açúcar – a companhia agora estuda novas fontes, como fibra do coco e cascas de cupuaçu, tanto para manter sua produção energética quanto para ampliar a reciclagem de passivos ambientais.

Em 2020, a Veracel produziu aproximadamente 919.873 MWh/ano de energia, sendo que 603.811 MWh/ano foram para consumo próprio e 89.352 MWh/ano foram exportados para a rede, um total que equivale ao consumo de 178.704 habitantes. Para o processo, a companhia utiliza resíduos da própria produção de celulose e outros materiais que seriam descartados como biomassa para a queima nas caldeiras da empresa.

“A cada ano que passa, a Veracel se torna mais eficiente quanto à utilização de toda sua produção de madeira para a celulose, isso nos dá a oportunidade de intensificar nossos estudos em novas possibilidades de materiais que podem ser transformados em energia, contribuindo tanto para o negócio da companhia quanto para o meio ambiente”, explica Estanislau Victor Zutautas, gerente de Recuperação de Utilidades da Veracel. “Já tivemos resultados bastante positivos no uso de caroço de açaí, cascas de cupuaçu e vimos potencial quanto ao uso das fibras das cascas do coco como biomassa para geração de energia limpa. Continuaremos estudando novas alternativas que possam contribuir para a matriz energética da empresa. Sabemos que o uso desses passivos ambientais vai além da compatibilidade de queima em nossa caldeira e depende muito de safras, do desenvolvimento de produtores locais, questões logísticas e do foco nos materiais que são mais descartados na região, por isso também estamos atentos às características econômicas do Sul da Bahia para o projeto”, complementa o gerente.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

Hypertherm 1Hypertherm, líder na fabricação de sistemas e softwares industriais de corte, realizará um evento no próximo dia 18, para apresentar o lançamento de três novos sistemas de plasma a ar chamados Powermax SYNC®. Com transmissão online de forma gratuita, às 11h30 (horário de Brasília), no YouTube , o evento contará com a presença de Edson Hurtado e Thiago Maciel, gerentes de vendas e especialistas em equipamentos manuais e mecanizados. Na ocasião, serão demonstradas novas funcionalidades do equipamento, além de algumas surpresas que estão reservadas para o público.

Conheça a Powermax SYNC®

Com inteligência integrada e um revolucionário consumível de cartucho de peça única, a próxima geração dos sistemas Powermax65/85/105 é considerada diferente de qualquer outro plasma no mundo. O sistema Powermax SYNC® e sua tocha SmartSYNC® substituem a tradicional pilha de consumíveis de cinco peças por um único cartucho codificado por cor. A tecnologia incorporada em cada cartucho define automaticamente a corrente, pressão de ar e modo de operação corretos e permite que os operadores saibam quando um novo cartucho é necessário. Além disso, os controles da tocha SmartSYNC permitem que os operadores ajustem a corrente e troquem o cartucho sem retornar à fonte de alimentação.

Vale destacar que o cartucho é produzido em uma única peça para que tudo dentro dele esteja perfeitamente alinhado e otimizado. Como resultado, esse cartucho terá a duração de até o dobro do tempo e fornecerá cortes mais limpos em comparação aos consumíveis tradicionais.

O cartucho pode até rastrear dados, como tempo de partida e de atividade do arco, para identificar tendências e tornar a operação do usuário mais eficiente.

“A série Powermax SYNC® oferece uma incrível facilidade de uso, menor custo operacional e melhor desempenho do que qualquer outro plasma a ar anterior. Estamos entusiasmados em apresentar o que é realmente um produto inovador para o setor de fabricação. Esta operação simplificada serve para ajudar os fabricantes a resolverem muitos dos desafios que enfrentam hoje, eliminando erros do operador, tempo de máquina parada, localização de defeitos, desperdício e tempo de treinamento, enquanto oferece a mesma confiabilidade líder do setor pela qual todos os sistemas Powermax são conhecidos”, afirma Erik Brine, gerente geral da equipe Powermax da Hypertherm.

Para manter o compromisso da Hypertherm de oferecer atualizações de tecnologia aos proprietários de seus sistemas a plasma mais antigos, os engenheiros da Hypertherm desenvolveram um adaptador para tochas Duramax® e Duramax Lock. Isso permitirá que os proprietários dos sistemas Powermax45 XP e Powermax65/85/105 aproveitem alguns benefícios da plataforma de consumíveis de cartucho, como trocas mais rápidas, pedidos e rastreamento de estoque mais fáceis, vida útil mais longa e qualidade de corte aprimorada.

Saiba mais sobre a Powermax SYNC®

Visite www.hypertherm.com para saber mais sobre o sistema Powermax SYNC® e assista ao lançamento do dia 18. Não será necessária a inscrição prévia para participar do evento. Caso desejem receber o link da gravação do lançamento, é necessário acessarem a página https://visit.hypertherm.com/Evento-Powermax-SYNC-Brasil-PT .

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

mercadoA indústria tenta reagir na intenção de lançar produtos, segundo o Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial, produzido pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. No mês de setembro o índice apresentou crescimento de 16,5% na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. No entanto, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, apresentou uma queda de -9,6% e no acumulado de 12 meses um crescimento de 2,3%.

Na opinião de Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, o índice encerrou o período de janeiro a setembro deste ano com um resultado acumulado 1,8% acima do realizado no mesmo período de 2020. “Mesmo com o indicador positivo, este é um momento de atenção com relação à intenção de lançamento de produtos, já que historicamente há uma desaceleração no último trimestre do ano que pode levar a encerrarmos 2021 no mesmo patamar do ano passado.”

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

magnetisAs empresas de tecnologia foram o motor de crescimento das bolsas norte-americanas e globais na última década. O componente tech do índice S&P500 subiu 555% nos últimos 10 anos, contra somente 214% do S&P500 excluindo o setor de tecnologia. No Brasil, este segmento vem crescendo rapidamente e diversas empresas tech estão listando suas ações em bolsa.

Por acreditar no imenso potencial deste segmento, a Magnetis está lançando o TECB11, ETF negociado na B3 que reúne mais de 23 empresas do setor, entre elas: Méliuz, Intelbras e Locaweb.

“O TECB11 permite que qualquer investidor tenha exposição às principais empresas de tecnologia do país de maneira simples, com baixo custo e alta liquidez. O ETF segue o Índice de Ações Tech Brasil, composto por empresas do setor de software, hardware, dados, e-commerce e serviços financeiros digitais, que têm o Brasil como seu principal mercado”, explica Daniel Jannuzzi, sócio, especialista em investimentos da Magnetis.

O ETF inclui tanto ações listadas na B3, como também em bolsas internacionais através de BDRs. O investidor poderá facilmente investir nessa cesta de ações de uma só vez, sem a necessidade de operar os 23 papéis individualmente ou ter que abrir conta no exterior. “É o primeiro ETF que combina ações locais e BDRs em sua composição.” completa Jannuzzi.

“Além disso, o TECB11 é uma opção de baixo custo em relação às demais alternativas de investimento, pois cobra uma taxa de administração de 0,6% ao ano, sem taxa de performance”, ressalta o especialista. O fundo também atuará ativamente no mercado de empréstimos de ações, gerando receita adicional para o fundo.

“As empresas de tecnologia foram as principais geradoras de retorno nos últimos anos e serão cada vez mais relevantes na transformação digital que estamos vivenciando. Apesar desse crescimento, os índices tradicionais brasileiros ainda oferecem uma baixa exposição ao setor de tecnologia, sendo dominados por empresas da “velha economia” como bancos e produtoras de commodities. Diversas empresas de tecnologia estão preferindo abrir o capital nas bolsas norte-americanas (Nasdaq e NYSE), deixando muitos investidores de fora desta oportunidade. Com o ETF pudemos trazer mais esta opção de diversificação para o investidor brasileiro”, conta Luciano Tavares, CEO e fundador da Magnetis.

O administrador do fundo é o BTG Pactual e o provedor do índice é a Teva Índices. O banco Credit Suisse foi contratado para atuar como formador de mercado (market-maker) garantido ordens de compra e venda a preços adequados.

Entenda melhor como funciona o ETF e todos os benefícios de tê-lo em sua carteira aqui: https://magnetis.com.br/etf/tecb11

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

tuvTÜV Rheinland UK Ltd  anuncia uma extensão de escopo de Órgão de Aprovação sob a Legislação relacionada a UKCA. A TÜV Rheinland está agora aprovada para os Regulamentos de Compatibilidade Eletromagnética de 2016, Regulamentos de Equipamentos de Pressão (Segurança) de 2016, Regulamentos de Equipamentos de Rádio de 2016, Regulamentos de Fornecimento de Máquinas (Segurança) de 2008 e Regulamentos de Brinquedos (Segurança) de 2011 e está pronta para atender seus clientes.

A TÜV Rheinland é um Órgão de Avaliação de Conformidade UKCA para os Regulamentos de Ferrovias (Interoperabilidade) de 2011 há vários anos, e continua sendo líder em serviços de avaliação de produtos com pedidos de aprovação já em andamento para EU Nº 305/2011 conforme alterado pelo Regulamentos de Produtos de Construção (Construction Products (Amendment etc.) (EU Exit) Regulations) 2019, Regulamento das Emissões Sonoras para o Ambiente de Equipamento para Utilização no Exterior 2001, Regulamentos de Equipamentos de Proteção Individual (UE 2016/425 conforme trazido para a lei do Reino Unido e emendado) e Regulamentos de Dispositivos Médicos de 2002 (sob UKAS e MHRA). Regulamentos de foco industrial, como Regulamentos de Equipamentos e Sistemas de Proteção Projetados para Uso em Atmosferas Potencialmente Explosivas 2016, Regulamentos de Elevadores 2016 e Regulamentos de Vasos de Pressão Simples (Segurança) 2016 também estão entre as aprovações que devem ser conferidas ao longo deste ano e no próximo.

Com a maioria das regulamentações UKCA originadas dos padrões regulatórios CE, a operadora global está em uma posição muito forte como especialista de longa data em avaliações de conformidade da UE. TÜV Rheinland Group é um Órgão Certificador das regulamentações da UE listadas, oferecendo aos clientes uma ampla variedade de serviços em Compliance Regulatório, Performance de Produto, Análise de Engenharia e Serviços de Confiabilidade.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

negócios infraestrutura máquinas exportação Perspectivas IBGE importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo Investimento FIESP meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia Feimafe tecnologia Feira Site P&S Radar Industrial indústria