Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

gasolinaCom o preço dos combustíveis nas alturas, com o litro da gasolina beirando os R$ 7, efeitos da valorização do petróleo no mercado mundial agravado pelas sucessivas quedas do real frente ao dólar, mais do que nunca as empresas precisam buscar soluções para manter seus negócios, enfrentar a concorrência do mercado, evitar desperdícios e otimizar gastos com insumos.

Para empresas frotistas, o custo com combustível vem se tornando cada vez mais relevante e a gestão eficiente de combustível surge cada vez mais como estratégica ao negócio, aumentando o desafio ao gestor de frota.

No custo de operação de frota em geral os mais relevantes são custo de manutenção e combustível, e no mundo da iniciativa privada a busca é sempre para reduzir ou pelo menos evitar aumento de custos e dar lucro para que a empresa sobreviva. Não existe outra opção a não ser a busca incansável pelo controle, diminuição de custos e aumento da eficiência em seus gastos, avaliar a viabilidade de ter posto interno da empresa ou posto delivery é uma maneira de utilizar-se de combustíveis de procedência e testados regularmente; ter preços negociados aproveitando do grande volume negociado pela operadora e definir metas e KPIs factíveis.

Assim, para as companhias que estocam combustível para atender a frota interna de veículos, a ValeCard, especializada em soluções de gestão de frotas e meios de pagamento, tornou-se a primeira empresa do mercado nacional a oferecer um sistema unificado de controle das bombas internas, desde a cotação até o controle da utilização, permitindo aos clientes a gestão completa de todo o processo.

Com o sistema oferecido pela ValeCard, todas as etapas – desde a compra, transporte até o controle de estoque – são realizadas por uma equipe própria da empresa e controladas pelo cliente, reduzindo custos e aumentando a segurança do sistema.

Por meio da plataforma da ValeCard, a empresa compra o volume de combustível desejado para carregar seus tanques e conta com ferramentas, incluindo cartões magnéticos individuais para cada usuário, para gerenciar os abastecimentos.

Somente de janeiro a novembro do ano passado, 44,1 milhões de litros de combustíveis foram comercializados, distribuídos, armazenados e abastecidos em veículos de frotas corporativas por meio da plataforma de bombas internas da ValeCard.

Por meio do novo produto, a ValeCard dá um passo à frente em relação aos competidores em um segmento que somente em 2018, último dado disponível do setor, faturou aproximadamente R$ 29 bilhões. O mercado potencial envolve todos os perfis de clientes que possuem tanques estacionários, principalmente aqueles que consomem diesel, como empresas de transporte público, transportadoras, grandes produtores rurais (abastecimento de colheitadeiras, tratores etc.), hospitais e shoppings (geradores), obras (guindastes), entre outros.

Vantagens da plataforma ValeCard 

A ValeCard oferece o serviço de bomba interna há quatro anos. Em 2020, o serviço foi incrementado com a criação de uma mesa interna de negociações, espécie de plataforma de comparação de preços para o abastecimento dos tanques, na qual os clientes têm a oportunidade de encontrar, entre as diversas ofertas disponíveis, a que melhor atende suas necessidades. Responsável por toda a intermediação, o sistema da ValeCard garante que as entregas e os prazos sejam cumpridos, com melhores condições de pagamento para os clientes.

O objetivo da ValeCard com o lançamento da plataforma é aumentar o poder de compras de pequenos clientes e oferecer oportunidades para os menores distribuidores, fortalecendo os empreendimentos de menor porte e incentivando o ingresso de novos players no segmento de distribuição.

Outras vantagens do sistema são a garantia de segurança das informações do cliente, centradas em um único sistema, bem como maior retaguarda financeira e melhores prazos para compra, uma vez que os negócios são intermmediados de forma centralizada pela ValeCard. Com todos os dados em uma única base, o cliente consegue ter uma visão 360° de todo volume gasto em abastecimento. Já para as distribuidoras, os ganhos incluem ampliação dos volumes vendidos, maior capilaridade das transações e obtenção de melhores valores nas negociações, além da redução de risco de crédito.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

i474391Conforto de um espaço iluminado e aconchegante ao alcance das mãos? Acender e apagar as luzes mesmo sem estar em casa? Controlar a iluminação via smartphone, tablet ou comando de voz? Sim, é possível tudo isso – e muito mais – com a novidade da fábrica de materiais elétricos da Tramontina que acaba de lançar a lâmpada SmartLED.

Com o novo produto da Tramontina controlar a iluminação do ambiente, acender, apagar, variar a intensidade e sincronizar a variação da cor conforme a melodia da música estão apenas a um toque. Econômica, segura e prática, a lâmpada oferece, além das temperaturas mais conhecidas (branca, neutra e amarela), uma paleta com 16 milhões de cores para atender gostos e necessidades distintas.

Por meio da função geolocalização, é possível configurar dispositivos compatíveis ao produto para ligar e desligar a luz ao chegar e sair do local. Logo, esquecer lâmpada acesa, nunca mais. Viajar e deixar a luz ligada também pode, afinal basta agendar horários de funcionamento. Como tudo pode ser devidamente programado é possível alterar a temperatura de cor ou intensidade luminosa de acordo com a previsão do tempo ou com temperatura do ambiente.

A SmartLED da Tramontina funciona de forma remota ou por comando de voz, pois é compatível com os principais assistentes existentes no mercado. É só baixar o aplicativo SmartLED, encontrado gratuitamente nas plataformas Google Play e App Store. O produto é indicado para uso interno, funciona na tensão de 100 a 240 Volts e necessita de rede Wi-Fi disponível na frequência 2,4GHz.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

img_marketParceria entre o Grupo Index e a We.Flow passa a oferecer a solução ESG 4.0 a empresas que desejam integrar valores sustentáveis em suas rotinas produtivas e aos seus modelos de negócios. Sigla para Environmental, Social and Corporate Governance, (ou ASG, a agenda Ambiental, Social e de Governança, em português), a versão 4.0 da solução vai além do simples cumprimento de regras e exigências do mercado e propõe a integrar a sustentabilidade e o impacto positivo e proativo na estratégia dos negócios. Diferentemente dos conceitos antecessores, essa versão contempla a pauta ESG de forma consciente e integral, sendo continuamente aprimorada com as principais inovações emergentes campo de impacto no mundo.

A implementação da consultoria ESG 4.0 passa pela construção de diagnóstico, planejamento, implementação, mensuração e reporte de uma estratégia ESG genuína e alinhada com a expertise de cada organização, gerando valor para toda a cadeia de relacionamento dos negócios – colaboradores, fornecedores, consumidores finais, a sociedade que as cerca e demais stakeholders – e se materializando em resultados práticos e efetivos em termos econômicos, sociais, ambientais e culturais.

A solução oferece um diagnóstico preciso da empresa para a implantação da cultura ESG e um benchmarking internacional no setor de atuação da empresa. A partir desse diagnóstico, estabelece um modelo de impacto exclusivo e um planejamento estratégico para sua aplicação. Todo esse processo é acelerado de perto pelas parceiras, o que contribui para a construção de uma verdadeira cultura de ESG e o engajamento de todos os públicos da empresa. Uma avaliação minuciosa, seguida de mensuração do impacto e da sustentabilidade da empresa, contribui para a construção de uma estratégia de engajamento, parceria e comunicação dessa organização com seu entorno, de modo que ela atinja e consiga compartilhar seus objetivos, resultados e impactos de forma clara e coerente. A solução é capaz de implementar uma estratégia de ESG permanente e duradoura porque tem em sua base um programa inovador de treinamento e capacitação experiencial à equipe da organização, o que favorece que os conceitos do ESG sejam sentidos e vivenciados na prática, diariamente, em todas as ações empresariais e mesmo na vida pessoal de cada participante.

O modelo foi elaborado para empresas de qualquer porte e setor de atividade que buscam estruturar, mensurar ou até expandir boas práticas de governança e o impacto socioambiental gerado a partir de suas atividades produtivas. Os resultados gerados pela implantação do modelo, com base em estudos realizados por diversas organizações internacionais, se refletem na melhoria do desempenho financeiro, na construção de uma reputação sólida, no aumento da confiança dos stakeholders e na garantia da fidelidade do consumidor, além da contribuição efetiva para uma economia mais inclusiva, equitativa e regenerativa.

O modelo do ESG 4.0 se sustenta em três pilares:
• O alinhamento e a integração entre o negócio e o impacto socioambiental;

• O incentivo à formação de uma cultura e liderança para o ESG;

• A transparência nas políticas de compliance e avaliação de impacto.

O ESG 4.0 trata da quarta onda do que, por ser algo vivo e em constante evolução, já é considerado um movimento – o do ESG -, que leva as empresas a incluir e transcender a visão econômico-financeira, compreendendo seu papel em uma sociedade e suas responsabilidades a partir dos impactos sociais e ambientais que suas atividades geram.

“Temos essa expertise na área ambiental e socioambiental com relação ao negócio”, informa Marcelo Schmid, sócio-diretor do Grupo Index, “e a We.Flow tem expertise internacional na governança e no social. A ideia foi juntar esses dois mundos para, juntos, criarmos algo ainda inédito no mercado. Algo completo e abrangente, que atenda tanto a empresa que está no começo do ESG até a que já está no topo desse processo. E isso passa por ressignificar conceitos de governança dentro das organizações para que os conceitos ESG saiam do papel e se tornem prática real, efetiva, genuína e verdadeira”, explica.

“Um dos grandes diferenciais do ESG 4.0, além da metodologia exclusiva e inovadora e da expertise de toda a equipe envolvida (distribuída hoje em 5 países), é que a We.Flow é uma Empresa B pendente certificada, o que garante um alto nível e rigor de ética, transparência e sustentabilidade. Somos assim um fornecedor certificado em impacto social que agrega valor às próprias políticas e estratégias de sustentabilidade e de impacto da empresa”, completa Paulo Cruz Filho, co-fundador e Soul of Flowing da We.Flow.

Com meio século de experiência no setor florestal e ambiental, o Grupo Index soma hoje 1,250 milhão de hectares de inventários florestais, 1,750 milhão de áreas monitoradas (SIG), 45 mil hectares de gestão florestal, US﹩ 3 bilhões de apoio a transações florestais e US﹩ 6 bilhões de ativos florestais avaliados.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

KennametalA Kennametal apresentou o sistema de furação e escareamento HiPACS para furos para fixadores aeroespaciais. Projetada para furar e chanfrar furos em uma única operação, a ferramenta de alta precisão atende aos rigorosos requisitos de precisão da indústria aeroespacial, garantindo, ao mesmo tempo, maior vida útil da ferramenta na usinagem de revestimentos de aeronaves de compósitos, titânio e alumínio.

“A maioria das ferramentas para furação de furos para fixadores usadas atualmente são ferramentas complexas feitas sob medida com longos prazos de entrega”, diz Georg Roth, gestor de produto, Kennametal. “O sistema HiPACS usa componentes padrão imediatamente disponíveis para uma entrega rápida e baixo custo por furo, graças ao fato de a broca e o inserto de chanfro poderem ser indexados independentemente um do outro. Adicionalmente, é o único sistema de furação e escareamento indexável no mercado que consegue manter as tolerâncias de chanfro de furos para fixadores exigidas pela indústria aeroespacial em somente uma operação.

Projetado para ser fixado em um mandril hidráulico padrão, o sistema modular HiPACS consiste de três componentes cuja instalação é rápida e fácil:
– Uma pinça de redução com alojamento de alta precisão integrado. Em conjunto com um mandril hidráulico padrão, esse componente garante uma fixação ultrassegura e batimentos nunca superiores a 3 μm, aumentando significativamente a vida útil das ferramentas e a qualidade dos furos.
– Um inserto de escareamento em PCD. Esse componente elimina a necessidade de usar brocas escalonadas caras feitas sob encomenda, reduzindo os custos de fabricação e, ao mesmo tempo, atendendo aos requisitos de precisão da indústria.
– Duas séries de brocas de metal duro — ambas com revestimento diamantado e com pontas de PCD — adequadas para todas as combinações de materiais normalmente usadas em aplicações aeroespaciais. Adicionalmente, as ferramentas de haste reta permitem ajustes de comprimento em incrementos de 10 mm.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

EXA Pepperl+Fuchs reforçou a sua posição enquanto fornecedor de equipamentos Ex com o lançamento da série SR. A nova série de caixas em aço inox junta-se à série GR, fabricada em plástico reforçado com fibra de vidro, na gama de especialista em automação de processos. A nova série complementa um portfólio de
soluções de controlo e distribuição altamente flexíveis e económicas no tipo de proteção Ex e (segurança reforçada).

Após o lançamento no mercado da série SR, serão inicialmente disponibilizadas várias versões de caixas E/S remotas, direcionadas para os requisitos dos setores de petróleo e gás, químico e farmacêutico. Estas versões serão continuamente complementadas por novas opções, como caixas térmicas e estações de
controle, unidades de controle, interruptores-seccionadores e interruptores de segurança, e soluções de bus de campo.

SR — Caixas em aço inox Ex e económicas para aplicações diversas

A série SR, em aço inox durável, integra mais de 30 tamanhos de caixa para cumprir os requisitos de dimensões precisos de todas as utilizações previstas. Para aumentar a rentabilidade, as caixas IP66/NEMA4X são sempre reduzidas para uma versão básica. Quaisquer acessórios, como placas de conexão, dobradiças, fechaduras de palanca de 1⁄4, e proteção da tampa, apenas serão integrados pela Pepperl+Fuchs de acordo com a especificação do cliente correspondente. Várias aprovações internacionais permitem a utilização numa vasta gama de aplicações. Consoante os requisitos de aplicação, as caixas, certificadas para um intervalo de temperaturas entre -60 °C e +120 °C, podem também ser montadas na vertical ou na horizontal no local de operação. Todas as versões da série SR podem ser aparafusadas diretamente com os suportes de montagem que rodam a 90° ou porcas de rebite, sem que sejam necessárias adaptações adicionais. Caso o equipamento seja utilizada como estação de controle, os blocos de contato podem ser fixados numa calha ou diretamente na cobertura da caixa.

GR — A série irmã fabricada em material plástico reforçado com fibra de vidro

Em termos estratégicos e tecnológicos, a série SR complementa a já consagrada série GR. Composta por uma gama de caixas IP66/NEMA 4X feitas em poliéster altamente resistente e antiestático reforçado com fibra de vidro. O material com proteção UV é extremamente durável e oferece excelente resistência à corrosão.

O facto de ser possível fazer a montagem dos componentes em separado significa que, mesmo as caixas grandes e pesadas, podem ser instaladas por apenas uma pessoa. Tal como a série SR, a série GR oferece diversas dimensões e opções para abranger uma vasta gama de requisitos de aplicação.

Soluções de distribuição e controlo Ex e a partir de uma única fonte

As duas séries de caixas Ex estão ligadas pelo conceito de serviço abrangente da Pepperl+Fuchs, que se foca em maximizar a integração vertical e fornecer sempre um amplo apoio aos utilizadores. Além do serviço de campo regional, os cliente têm acesso a especialistas de produtos em seis Centros de
Engenharia de Soluções (Solution Engineering Centers, SEC) em todo o mundo, que podem prestar apoio em todos os aspetos, desde a preparação de orçamentos de engenharia, design, e certificação de soluções de controlo e distribuição personalizadas.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

HyperthermA Hypertherm, fabricante de sistemas e softwares para corte industrial, anuncia a atualização de versão secundária para o ProNest® 2021, seu avançado software de agrupamento CAD/CAM para corte automatizado. Esta nova versão contém recursos e aprimoramentos direcionados e projetados para tornar os clientes mais eficientes e rentáveis. Entre os novos recursos estão:

.Desfazer e refazer. Com eles, é possível voltar ou avançar à medida que você conclui as ações no agrupamento. Os recursos de desfazer e refazer podem ser úteis caso você tenha movido uma peça no agrupamento e deseja, por exemplo, colocá-la de volta na mesma posição em que estava antes.

.Arrastar percursos. Com esse recurso, os programadores podem arrastar um percurso de entrada ou de saída e mudar rapidamente o tamanho ou ângulo do percurso. Esse eficiente método visual de ajustar seus percursos foi desenvolvido principalmente para peças de trabalhos artísticos que talvez não precisem de percursos em localizações exatas.

.Procurar por trabalhos. Uma forma de encontrar rapidamente todos os trabalhos no banco de dados, incluindo os que foram criados por outros usuários em um ambiente de banco de dados compartilhado. Você pode pesquisar em uma série de campos diferentes para encontrar os trabalhos que precisa, como o nome do trabalho, nome da peça, material do agrupamento, nome da chapa, número do pedido de trabalho e muito mais.

.Orçamentos em CSV. Agora, os usuários têm a opção de exportar orçamentos em arquivos CSV, além de formato em PDF, impresso ou por e-mail. Os orçamentos em CSV podem ser importados para o QuickBooks® para fins de faturamento ou para seu software de ERP/MRP.

“Essa versão conta com diversas melhorias inspiradas em nosso grupo de usuários. O recurso de desfazer foi uma das sugestões mais pedidas pelos nossos clientes, por isso sabíamos que teríamos que trazê-lo para essa versão; estamos muito felizes de ver essa ideia sair do papel. O mais importante é escutar nossos clientes e colocar em prática novas melhorias para facilitar seus trabalhos”, explica Chris Pollard, Gerente de Produtos de software CAD/CAM da Hypertherm.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

crhistinaA Invillia abre inscrições para o Reinvent . Este é um programa totalmente gratuito dedicado a preparar profissionais de Tecnologia, que por algum motivo pausaram sua carreira, a voltar ao mercado de trabalho. A primeira edição terá 20 vagas exclusivas para mulheres que saíram da área devido à maternidade.

O programa  busca preparar e qualificar os profissionais de Tecnologia, proporcionando desenvolvimento acelerado para grandes talentos. “Nesta primeira edição, após ouvir o relato de muitas mulheres que se sentiam inseguras em voltar ao mercado de tecnologia depois de algum tempo afastadas, principalmente pela maternidade, resolvemos disponibilizar todas as vagas para as mães. O setor de Tecnologia realmente está em constante transformação e esse receio é comum. Daí ajudá-las a retomar, mostrando todos os caminhos, ferramentas e tecnologias para voltarem a trabalhar rapidamente e com confiança é fundamental. Oportunidades para o talento delas não faltam”, afirma Renato Bolzan, CEO da Invillia.

As mulheres que participarem do programa terão a chance de recomeçar na carreira por meio de aulas com alguns dos melhores profissionais do setor para realizar um refresh sobre as principais metodologias e tecnologias com o objetivo de aprimorar, atualizar os conhecimentos. Com encontros 100% remotos e gratuitos, o Reinvent será dividido em três sprints com duas aulas semanais. O programa irá dar um panorama do mercado e apresentar uma tendência do momento e, por fim, desenvolver a parte prática sob a mentoria dos técnicos da Invillia.

“O último sprint é fundamental para colocar em prática tudo o que foi aprendido ao longo do Reinvent. Nestas aulas, elas terão um acompanhamento individual e sairão prontas para concorrer às melhores vagas em Tecnologia, podendo até entrar para o time da Invillia”, acrescenta Bolzan.

Para participar é necessário experiência em programação, conhecimento básico em Java, já ter atuado no setor e estar fora do mercado neste momento. O processo seletivo para a primeira turma acontece durante o mês de maio, com inscrições a partir do dia 13, e as aulas iniciam em junho.
Faça aqui sua inscrição: http://invillia.com/reinvent
Imagem: Christina Morillo

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

trumpA  TRUMPF adquiriu a software house Lantek, com o objetivo de ganhar autonomia no software de processamento de chapas que funciona independentemente do fabricante da máquina. “A TRUMPF está bastante envolvida em sistemas de automação industrial e na tecnologia como o padrão OPC-UA, para comunicação entre máquinas e dispositivos de diferentes fabricantes. A aquisição da Lantek é mais um passo nessa direção”, disse João Visetti, CEO da TRUMPF Brasil.

De acordo com Thomas Schneider, diretor gerente de desenvolvimento de máquinas-ferramenta da empresa, a parceria abre a TRUMPF para o ecossistema de produção dos clientes. “Com a Lantek, cobrimos de forma abrangente a cadeia de processo de chapa metálica, mesmo com máquinas de diferentes fabricantes. Desta forma, estamos dando mais um grande passo em direção à produção de chapa metálica eficiente e conectada e enriquecendo o portfólio de soluções das nossas Smart Factoriessempre com foco no cliente”, afirmou.

Depois de participar no desenvolvimento da umati, a interface de dados de máquina aberta; do desenvolvimento do omlox, o padrão de posicionamento aberto; e da cooperação com a especialista em intralogística Jungheinrich em veículos guiados automatizados, a cooperação com a Lantek é um passo consistente para a otimização do processo e conectividade para a produção de chapas do futuro.

“Estamos ansiosos para cooperar estreitamente com a TRUMPF. A Lantek lidera o software de chapas metálicas há 35 anos, graças à sua capacidade de trazer as melhores soluções de fabricação para qualquer máquina de corte, e este continuará sendo o nosso objetivo, garantindo a interconectividade e a independência entre os fabricantes de máquinas-ferramenta. Nossos clientes se beneficiam de um intercâmbio próximo nas principais tecnologias de IA ??do futuro, modelos de dados e controle holístico dos processos. Isso nos permite agrupar nossas competências e desenvolver softwares para o futuro da produção de chapas metálicas de uma forma ainda mais aberta e voltada para o cliente no futuro ”, diz Alberto López de Biñaspre, CEO da Lantek.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

pexels-pixabay-373543Vivien Mello Suruagy, presidente da Federação Nacional de Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra), salienta que um dos benefícios mais relevantes do 5G é que propiciará economia de eletricidade, pois, com o mesmo volume de energia das redes atuais de 4G, trafegará quantidade de informações mil vezes maior. Isso significa muito menos tempo de uso da internet e dos dispositivos. Além disso, os novos equipamentos são programados para funcionar apenas quando existir demanda, evitando desperdício energético nas antenas e smartphones.

Além disso, setores que hoje dependem de combustíveis fósseis passarão a viver outra realidade. Viagens aéreas, que produzem milhões de toneladas de dióxido de carbono e estão entre as atividades mais poluentes, serão cada vez mais substituídas por redes de telepresença. Deslocamentos para reuniões e atividades de entretenimento, hoje feitos por meio de transporte coletivo ou individual, também serão substituídos por eventos em plataformas virtuais cada vez mais imersivas.

“As cidades ganharão mais ferramentas de automação inteligente, otimizando a coleta de lixo, gerenciamento da água e a limpeza urbana. O desenvolvimento de redes de veículos autônomos e elétricos conectados pela rede de 5G propiciará muito mais eficiência ao trânsito urbano, economizando a queima de combustíveis”, destaca Vivien. Ela cita que também será ampliada a fiscalização contra ações predatórias ou com riscos ecológicos, com o uso de drones conectados ou pela instalação de sensores remotos.

O meio rural, ao ser conectado com a internet das coisas, consumirá muito menos água. Outras atividades, como mineração e a própria gestão do setor elétrico, ganharão eficiência por meio de redes privativas 5G.

A presidente da Feninfra alerta, porém, ser necessária atenção para a destinação correta e reciclagem dos equipamentos de terminais e de rede, cuja quantidade aumentará em decorrência da maior digitalização da sociedade. Também haverá ampliação significativa da infraestrutura atualmente instalada, que evoluirá para redes mais complexas, alimentadas por outras fontes, como energia solar e eólica. “Por isso, é essencial que esses sistemas sejam construídos dentro de normas e procedimentos técnicos rigorosos, com mão de obra qualificada e equipamentos de boa procedência, evitando o desperdício de material e riscos à saúde das pessoas e ao meio ambiente”, pondera.

Concluindo, Vivien salienta que, “se forem observados os cuidados necessários, é possível garantir que os efeitos positivos do 5G ao meio ambiente serão muito maiores do que os riscos da nova tecnologia”.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

naoeobvioVocê acredita que o futuro vai pertencer às pessoas que foram treinadas para ver o que os outros não veem? Os benefícios de aprender a ser um pensador não óbvio vão muito além de apenas ser capaz de identificar tendências. Esses insights foram publicados anualmente por Rohit Bhargava, e o livro Não óbvio, que está sendo lançado pela Buzz Editora no Brasil, reúne uma retrospectiva de dez anos de tendências, um manual que possibilita o leitor fazer sua própria curadoria delas, e dez novas megatendências para o futuro.

Já se passou um ano desde o começo da pandemia, e muitos olham para trás se perguntando: estamos vivendo ou sobrevivendo? É notório que este momento trouxe desafios universais e, com isso, algumas soluções também vieram a surgir. Se ainda precisamos evoluir muito como seres humanos, a tecnologia caminhou de forma reversa: houve uma aceleração digital de dez anos desde o começo da pandemia.

E essa antecipação do futuro se refere a diversos setores da vida, como o ensino à distância, que se tornou onipresente. Pessoas estão assistindo a competições de jogos on-line mais do que nunca. A telemedicina, as conferências virtuais, o cinema via streaming, as moedas virtuais, o reconhecimento facial e até mesmo a ideia de renda básica universal: ideias que antes eram futurísticas, agora se tornaram mundanas. Não é que a inovação ficou mais rápida. É que as barreiras que antes a seguravam foram superadas.

Rohit Bhargava diz que ver o que não é óbvio o torna mais aberto para a mudança e pode ajudar a perturbar, em vez de ser perturbado. E o best-seller do USA Today e do Wall Street Journal que neste ano chega com uma edição especial de aniversário de dez anos vai além da coletânea de insights sobre o futuro mais lida do mundo. Ele compila tudo o que vai ser relevante para o mundo e, claro, para os negócios nos próximos anos.

Existe uma necessidade urgente de formar mais pensadores não óbvios no mundo. E você pode ser um desses pensadores. O livro, que é vencedor de dez prêmios internacionais, incluindo o primeiro lugar na lista dos mais vendidos do Wall Street Journal, o Livro de Negócios do Ano Eric Hoffer, o Indie Book Award e o Prêmio de Associação Americana de Marketing, vai ajudá-lo a identificar, selecionar e prever tendências para si mesmo e para o mundo ao seu redor.

TAGS: ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

negócios infraestrutura máquinas exportação Perspectivas IBGE importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo Investimento FIESP meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia Feimafe tecnologia Feira Site P&S Radar Industrial indústria