Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

feiraDe 28 de setembro a 01 de outubro de 2015, a Itália apresentou a alta tecnologia para o setor de máquinas, equipamentos e insumos para a fundição durante a 16ª edição da FENAF – Feira Latino-Americana de Fundição, realizada no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento reuniu mais de 150 marcas, nacionais e internacionais, e recebeu visitantes de diversos países.

O Brasil figura entre os principais mercados de fundição e ocupa o sétimo lugar no ranking internacional de produção do setor. Encerrou 2014 com faturamento de US$ 8,4 bilhões, produção de cerca de três milhões de toneladas e mais de 62 mil empregados que geram produtos para os setores automotivo, de bens de capital, infraestrutura e siderurgia, no Brasil e no exterior.

Promover parcerias tecnológicas, o networking e a troca de experiências, além de consolidar e fortalecer ainda mais o intercâmbio comercial no Brasil e na América Latina foram os objetivos da participação coletiva italiana. Segundo Fabrizio Carmagnini, diretor da AMAFOND - Associação Italiana dos Fornecedores de Máquinas e Produtos para Fundição, o atual contexto econômico, em especial, a desvalorização do real frente à moeda americana, trouxe novos desafios à indústria. “A nossa presença é a confirmação do interesse pelo mercado brasileiro. Essa é uma situação que esperamos que seja momentânea e que esteja normalizada em um período de tempo relativamente curto”, afirmou reforçando a importância da continuidade de ações estratégicas e de ampliação dos mercados, enfatizando que a Itália é o principal fornecedor do Brasil neste setor, respondendo, atualmente, por 16,2% de tudo o que o Brasil importa na área, de um total de aproximadamente 200 milhões de euros por ano.

Abordando o cenário macroeconômico internacional, o executivo disse ter afetado não somente o Brasil, mas todos os países com economias emergentes, como a Rússia, a China e a Índia. Hoje, as regiões que mais investem em maquinário e equipamento para a fundição são os EUA e o México. Em relação aos segmentos, Carmagnini afirmou que a indústria de fundição que atua no desenvolvimento de plantas e projetos para o setor de alumínio vem crescendo muito nos últimos anos. Este crescimento é explicado pela alta demanda do mercado automotivo (automóveis comerciais e leves), que busca por soluções que tornem os veículos mais leves. Também citou o setor de fundição para componentes de máquinas agrícolas como um dos que mais tem sido afetado, com a evidente diminuição nos investimentos em novos maquinários.

Além de empresários, representantes de associações e parceiros do mercado brasileiro, o Pavilhão Italiano contou com a visita do Embaixador da Itália no Brasil, Raffaele Trombetta. O diplomata foi recebido pelo Cônsul Geral da Itália em São Paulo, Michele Pala; o diretor do ITA – Italian Trade Agency no Brasil, Federico Balmas; a vice-diretora do ITA – Italian Trade Agency, Loriana Ceccarelli, o diretor da AMAFOND, Fabrizio Carmagnini, e o presidente da ABIFA – Associação Brasileira de Fundição, organizadora da feira, Remo de Simone. Na ocasião, Raffaele Trombetta conversou com os empresários italianos presentes no Pavilhão, além de se reunir com a diretoria da ABIFA.

 

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

feiraCom o intuito de encontrar parcerias comerciais e desenvolver oportunidades de negócio no mercado brasileiro, nove empresas italianas virão expor na 16ª FENAF – Feira Latino-Americana de Fundição, que acontece de 28 de setembro a 01 de outubro de 2015, no Expo Center Norte, em São Paulo.

O objetivo da participação italiana é estimular a aproximação entre os mercados, em especial entre as pequenas e médias empresas. O setor italiano de máquinas, equipamentos e insumos para fundição é composto por cerca de 150 empresas, em sua grande maioria de pequeno e médio porte, condição que lhes dá flexibilidade, dinamismo e, sobretudo, especialização em suas áreas de atuação. Atualmente, a Itália é o principal fornecedor do Brasil neste setor, respondendo por 16,2% de tudo o que o Brasil importa na área, de um total de aproximadamente 200 milhões de euros por ano.

Entre os destaques do Pavilhão Italiano estão novas tecnologias em equipamentos e maquinários que tornam a linha de produção sustentável, com foco na redução do impacto ambiental, economia de energia e emissão de CO2. Por exemplo, a empresa COLOSIO, traz para o mercado nacional a linha GREEN LINE II, uma máquina inteligente que funciona de forma mais veloz e eficiente de acordo com a necessidade da produção e dos recursos disponíveis, resultando numa economia de cerca de 25% de energia. Ainda na área de sustentabilidade, outro destaque será uma solução apresentada pela CIME para sincronizar o setor de fundição e a linha de moldagem,  “calcanhar de Aquiles” do segmento, já que mais da metade das interrupções nas linhas automáticas são causadas pela espera do metal.

O Pavilhão Italiano é organizado pelo ITA – Italian Trade Agency (Agência para a Internacionalização das Empresas Italianas/ Departamento para a promoção de intercâmbios da Embaixada da Itália), em colaboração com a AMAFOND (Associação Italiana dos Fornecedores de Máquinas e Produtos para Fundição). Traz para a FENAF as últimas novidades e tecnologias para indústria da fundição.

Empresas do Pavilhão Italiano na FENAF 2015: CIME, COLOSIO, EUROMAC, I.M.F. GROUP, IDRA, MAGALDI INDUSTRIE, MAUS, OMSG e SOGEMI.

SERVIÇO
Pavilhão Italiano na FENAF 2015 – 16ª Feira Latino-Americana de Fundição

Estande C03

28 de setembro a 01 de outubro de 2015
Segunda a quinta-feira, das 13h às 20h

Local: Pavilhão Expo Center Norte, São Paulo – SP (Brasil)

Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme/ CEP: 02055-000

Saiba mais: www.ice-sanpaolo.com.br/fenaf_2015 * www.facebook.com/ICEBrasil

 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

Itália, segundo País maior fabricante de máquinas-ferramenta,robôs,sistemas de automação e equipamentos auxiliares da Europa e 4o maior do mundo, participará da Feimafe – Feira Internacional de Máquinas- Ferramentas e Sistemas Integrados de Manufatura. Esta feira é bienal e de grande manifestação sul-americana do setor industrial, de 23 a 28 de maio, Pavilhão de Exposições do Anhembi, São Paulo.

Em sua nona participação coletiva ao evento, a Itália vem com o objetivo de firmar novas parcerias e estimular o intercâmbio tecnológico. Numa área de 750 m², o Pavilhão Italiano reúne 48 empresas, líderes em seus setores de atividade, sendo a maior participação oficial estrangeira da feira e a maior participação italiana desde a primeira edição do evento.

 A iniciativa conta com a organização do ICE – Instituto Italiano para o Comércio Exterior, entidade ligada ao Ministério Italiano do Desenvolvimento Econômico, em parceria com a UCIMU – Associação dos Fabricantes Italianos de Máquinas-Ferramenta, Sistemas de Automação e Robôs, entidade que representa 200 empresas, as quais contribuem com 70% da produção Made in Italy do setor.

 A expressiva participação italiana, tanto em área expositiva quanto em número de empresas,  justifica-se pelo tamanho do mercado brasileiro de máquinas-ferramenta, estimado em cerca de 1,3 bilhão de euros por ano, dos quais 55% fornecidos por empresas estrangeiras.

TAGS: , , , , ,

Deixe seu comentário

0

Uma recente pesquisa realizada pela Organização Mundial do Comércio, OMC, aponta que o Brasil ocupa o quarto lugar na preferência dos investidores internacionais, depois dos Estados Unidos, China e Índia, colocando-se à frente de potências como Japão, Alemanha e Reino Unido.

No mercado interno brasileiro, a Itália é considerada um dos maiores parceiros econômicos do País, no 13º lugar, como um dos principais investidores estrangeiros no Brasil.  Prova disso são grandes nomes como Fiat, Pirelli e TIM Brasil

Segundo Giovanni Sacchi, diretor no Brasil do Instituto Italiano para o Comércio Exterior (ICE),  acordos comerciais entre os dois países sempre estiveram na pauta de prioridades, havendo promissoras relações comerciais a serem exploradas. “Convidamos as empresas italianas a olhar o Brasil como um parceiro estratégico”.
Hoje, aproximadamente 300 empresas italianas têm presença direta no Brasil, número duplicado ao longo dos últimos dez anos.

Outro lado

As compras de produtos italianos pelo Brasil, em 2008, cresceram 30%, sobretudo em bens de capital, que representam mais de 60% das compras brasileiras provenientes da Itália. Entre os principais produtos exportados para a Itália estão frutas, flores, ferro, couro, papel, produtos siderúrgicos, carne, metais e peças para automóveis. Já o Brasil importa da Itália principalmente máquinas e componentes mecânicos, produtos químicos e farmacêuticos.

Acordos entre o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil e o Ministério Italiano do Desenvolvimento Econômico, consolidados na última visita do presidente Lula à Itália, em novembro de 2008, vieram fortalecer as relações comerciais entre os dois países, com destaque para as áreas de defesa, infra-estrutura, tecnologias espaciais, ciências médicas e saúde.

Outros setores de interesse são: têxtil, alimentício, couro e calçados, madeira e produção de móveis, beneficiamento de mármores e granitos, componentes eletrônicos e eletro-técnicos, agropecuário, álcool, papel-papelão, energia e mineração.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

novidade máquinas exportação Meio Ambiente Industrial Perspectivas IBGE importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo FIESP Investimento meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia Feimafe tecnologia Feira indústria Site P&S Radar Industrial