Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

Linha amarela tem alta estimada de 13% por conta das encomendas realizadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário para o PAC2 Equipamentos

A comercialização de equipamentos para a construção deve alcançar um resultado positivo em 2013, com crescimento de 5% em comparação com 2012. Serão mais de 74,1 mil unidades vendidas contra 70,3 mil unidades comercializadas no ano anterior. A constatação é do Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção, elaborado pela Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração e divulgado nesta quarta-feira, dia 13 de novembro, em São Paulo, durante o evento estratégico Tendências no Mercado da Construção.

Esse resultado decorre do crescimento estimado de 13% na comercialização de máquinas da linha amarela (terraplenagem e compactação) neste ano, com 33,3 mil unidades vendidas contra mais de 29,4 mil unidades vendidas em 2012, e também, do desempenho geral de outros equipamentos para construção, um grupo heterogêneo formado por gruas, guindastes, compressores portáteis, plataformas aéreas, manipuladores telescópicos e tratores de pneus, que deve apresentar uma alta de 19% em 2013.

De acordo com Eurimilson Daniel, vice-presidente da Sobratema, o desempenho das vendas dos equipamentos para construção será menor do que a linha amarela e das demais máquinas, principalmente, por conta dos resultados dos caminhões rodoviários, que devem obter um decréscimo de 7% nas unidades vendidas. “Essa categoria impacta fortemente no resultado final dado o número absoluto de unidades envolvidas”, explica.

Em relação aos setores que utilizam máquinas para a construção, a área de infraestrutura responde pela maior parte dos equipamentos adquiridos em 2013, com 35 mil unidades, o que significa um crescimento de 9,9% ante 2012. A construção civil é o segundo segmento em termos de vendas, com 28 mil unidades, o que representa uma alta de 1,4% em comparação com o ano passado.

Linha amarela

A quantidade esperada de 33,3 mil máquinas comercializadas em 2013 marcará um novo recorde no setor. O recorde anterior ocorreu em 2011, com mais de 30,5 mil unidades vendidas.

Para Daniel, um dos fatores que influencia esse resultado é o grande número de máquinas encomendadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para serem repassadas a municípios pré-designados com até 50 mil habitantes, fora das principais regiões metropolitanas. Até a primeira quinzena de outubro, foram entregues 6.090 máquinas, entre retroescavadeiras e motoniveladoras, com montante de R$ 1,47 bilhão. “Essas duas categorias de equipamentos devem ter um expressivo resultado em termos de vendas em 2013, com altas de 16% e 177%, respectivamente, em comparação a 2012”, detalha.

Em termos percentuais, o desempenho das vendas na linha amarela no Brasil será melhor do que na Europa e na América do Norte, que deverão apresentar recuos de 7% e 8%, respectivamente, e do que a China, cujo crescimento esperado é de 4%. Atualmente, o país representa cerca de 3,5% do mercado mundial de equipamentos.

No caso da importação, o Estudo de Mercado estima que haverá uma elevação de apenas 2,2% em 2013 ante 2012. “Essa pequena alta deve-se, principalmente, às taxas de câmbio mais desvalorizadas, que afetaram a competitividade das empresas importadoras de equipamentos”, afirma Daniel.

Frota de equipamentos

Estimativas do Estudo de Mercado mostram que, em 2009, a população de máquinas com até 4 anos de uso era da ordem de 140 mil unidades. Em 2013, a estimativa é que esse volume chegue a quase 300 mil unidades. “Com as vendas elevadas, houve nos últimos anos uma forte renovação da frota e um importante acréscimo de população”, explana o vice-presidente da Sobratema. No caso dos equipamentos com até 10 anos de uso, para 2013, a projeção é de quase 480 mil unidades.

Projeções até 2018

O Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção também apresenta projeções para a venda de máquinas até 2018, cuja elevação média anual será de 5,49%. Esse crescimento depende da retomada de investimentos e da viabilização efetivas dos projetos que estão sendo elencados para reduzir os gargalos existentes na infraestrutura nacional.

Editada desde 2007, a compilação e análise dos dados conta com as consultorias econômicas do jornalista e economista Brian Nicholson e do professor Rubens Sawaya, da PUC-SP. O estudo de mercado permite o dimensionamento da importância econômica do setor e também das políticas que facilitam a aquisição de equipamentos modernos e eficientes, além de ser um instrumento útil de planejamento para as empresas do setor.

Fonte Sobratema

TAGS: , , , , ,

Deixe seu comentário

0

O forte crescimento das economias do Brasil, China e Índia está provocando uma inversão total na divisão do mercado mundial de máquinas e equipamentos utilizados no setor de construção e de obras de infraestrutura. Segundo um estudo de várias fontes nacionais e internacionais consolidado pela Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção, em 2015, 60% das vendas mundiais de equipamentos para esse segmento acontecerão no Brasil, China e Índia. “A crise de 2008 acelerou um processo de concentração desse mercado nos países emergentes”, diz Brian Nicholson, consultor econômico da entidade. Além do Estudo de Mercado da própira Sobratema, Nicholson usou dados da Off-Highway Research, de Londres, e da Abimaq.

Essa participação prevista representa uma inversão total da situação vivida em 2004. Naquele ano, os três países juntos representavam apenas 23% da demanda por máquinas e equipamentos para construção e obras de infraestrutura. O consultor salienta ainda que a tendência deverá se acentuar ainda mais com o agravamento da crise na Europa e os bons números do desempenho nos países emergentes, especialmente os referentes à economia chinesa.

TAGS: , , , , , , ,

Deixe seu comentário

0

O mercado brasileiro de locação de máquinas e equipamentos para o setor de construção e de obras de infraestrutura no País segue crescendo num ritmo bastante forte. Segundo estimativa feita pela Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção do total de máquinas vendidas no País, 30% se destinam ao mercado de locação. Com esse percentual, o mercado brasileiro segue uma tendência mundial de maior participação dos equipamentos alugados. Nos países europeus e nos Estados Unidos, o percentual de equipamentos que é destinado ao mercado de locação é de 60%.

A explicação para o expressivo crescimento do mercado de locação de equipamentos está no aumento da frota nas locadoras e também em razão do surgimento de novas empresas no segmento, atraídas pelas boas oportunidades de negócios existentes no mercado.

A direção da Sobratema detectou ainda uma pulverização de investimentos na área de locação no Brasil, acompanhando os projetos de grandes obras, que estão espalhadas por diversas regiões. Diante desse cenário promissor, o segmento de locação sustenta a firme disposição de continuar investindo, a despeito de uma diminuição na rentabilidade registrada este ano. A expectativa para 2012, no entanto, é de melhoria na rentabilidade, até pelo fato de que a totalização da receita do setor, considerando todas as empresas, registra certo crescimento.

TAGS: , , , , , ,

Deixe seu comentário

0

 O principal gargalo enfrentado hoje pelas grandes obras de infraestrutura no País está nas medidas adotadas pelos órgãos de controle e pela Justiça que acabam acarretando longos períodos de paralisação, resultando em prejuízo para a sociedade que necessita de estradas, portos e aeroportos, entre outras obras. A avaliação foi feita por dirigentes da Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção durante a entrevista coletiva na abertura da Construction  Expo 2011 – Feira Internacional de Soluções para Obras & Infraestrutura, que começou nesta quarta-feira, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

O que eles defendem é que eventuais irregularidades detectadas numa obra sejam investigadas e os responsáveis punidos, se for o caso, mas sem prejuízo do andamento do serviço. “Obras que estão andamento, que foram licitadas e obedeceram integralmente o que prega a Lei 8.666 não devem ser paralisadas por uma ação do Ministério Público de Tribunais de Contas”, diz Mário Humberto Marques, vice-presidente da Sobratema.

Outro aspecto abordado pela direção da Sobratema na coletiva foi o da deficiência na qualificação de mão-de-obra no setor construção e mineração. “É preocupante esse aspecto, mas as empresas estão se mobilizando para melhorar essa formação”, diz Mário Humberto Marques, vice presidente da entidade. Nesse aspecto, ele lembra ainda que a própria Sobratema tem contribuído com a capacitação, pois o Instituto Opus, criado pela entidade e que em 2011 completa 10 anos, já formou 3.500 profissionais.

Essa questão da formação de profissionais para os segmentos de construção e de mineração, segundo os organizadores da Construction 2011 também deve ser abordado nas várias palestras do Sobratema Congresso, que acontece junto com os eventos – além da Construction está sendo realizada também a M&T Peças e Serviços – Feira Latina Americana de Peças e Serviços de Equipamentos para Construção e Mineração.

Ambos os eventos, que se prolongarão até o próximo sábado, devem atrair um público estimado de 25 mil visitantes. No total, os eventos reunirão 351 expositores, sendo 126 internacionais, que ocuparão uma área total de 28 mil m2. No caso da Construction, o grande diferencial é que ela foi baseada em salões temáticos

E são os seguintes os salões temáticos: Salão da Copa de 2014, que está exibindo uma réplica de um estádio de futebol; Salão Belo Monte, com detalhamento da usina hidrelétrica em construção no Pará; Vila do Aço, que reproduz ambientes feitos com estrutura de aço; Salão da Infraestrutura Ferroviária e do Trem de Alta Velocidade, dedicado às tecnologias e os desafios dos vários projetos na área ferroviária; Salão da Sustentabilidade, com foco na reciclagem de material de construção; e o Salão da Inovação, para a apresentação dos mais recentes projetos inovadores relacionados à área de construção. Está montada ainda uma Mostra de Equipamentos para pequenos canteiros, destinada a obras em lugares de difícil acesso aos grandes equipamentos.

Em todos os salões temáticos, a Sobratema contou com parcerias. No caso do Salão da Copa de 2014, a parceira é a Madarim Comunicação, responsável pelo conteúdo do Portal 2014 na web; na Vila do Aço é o Instituto Aço Brasil (IABr);  no Salão Belo Monte, é a empresa Norte Energia, responsável pela hidrelétrica que será construída no Pará; no Salão da Infraestrutura Ferroviária e do Trem de Alta Velocidade, o apoio vem da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer); o Salão da Inovação conta com o apoio da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei); o Salão da Sustentabilidade foi montado por empresas filiadas à Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon).

Planejados para ter o máximo de interatividade com os visitantes, por meio do uso dos mais modernos recursos da informática e da comunicação, os salões temáticos da Construction 2011 recriam, em diversos ambientes, um cenário no qual será possível identificar as novas tendências da engenharia, de novos materiais, tecnologias avançadas, métodos construtivos inovadores e recursos voltados para a preservação do meio ambiente.

 

Além da primeira edição da Construction Expo 2011 e da M&T Peças e Serviços, a Sobratema é a organizadora também da M&T Expo, a maior e mais importante Feira Latino-Americana de Máquinas e Equipamentos para Construção e Mineração, que será realizada em São Paulo em maio de 2012. Ela ainda é a realizadora do Sobratema Fórum de Infraestrutura e da Pesquisa nos Principais Investimentos nas Áreas de infraestrutura previstos no Brasil até 2016, uma análise consolidada dos 11 principais segmentos do mercado e da lista completa de 9.950 obras em andamento no País. Por fim, a entidade promove, desde 2004, o Estudo Sobratema do Mercado de Equipamentos para Construção.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

A SOBRATEMA – Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção, organizadora da M&T Peças e Serviços 2011, promove no dia 11 de novembro, em São Paulo, o terceiro e último café-da-manhã para pequenas e médias empresas fornecedoras de peças, serviços e rental para os setores de construção e mineração. O evento tem como foco mostrar como os expositores de uma feira podem potencializar sua participação, aumentando o número de negócios realizados em imediato, curto, médio e longo prazos. Os dois primeiros encontros reuniram mais de 70 participantes.

Na programação do evento haverá a palestra de Fernando Lummertz, diretor do Instituto de Feiras e Negócios (IBRAEXPO), que garante que as feiras são sinônimos de bons negócios para as empresas, além de oferecem outros benefícios como o fortalecimento da marca, a divulgação espontânea de veículos de comunicação, o desenvolvimento de novas parcerias e o relacionamento com prospects e clientes.

O evento deverá contar com cerca de 350 expositores e atrair 18 mil visitantes do Brasil e de países latino-americanos. A inscrição é gratuita e as vagas são limitadas.

Informações pelo 11 5573-0807 ou pelo e-mail sobratema@novasoma.com.br.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

negócios infraestrutura máquinas exportação Perspectivas IBGE importação PIB CNI Revista P&S inovação máquina Evento Pesquisa Feira Internacional da Mecânica Site P&S Artigo Investimento Radar Industrial FIESP meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado tecnologia Economia Feimafe Feira indústria