Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

aventicsA líder global de software, tecnologia e engenharia Emerson (NYSE: EMR) colabora com a Colgate-Palmolive Company, a fabricante de produtos de consumo S&P 100 (NYSE: CL), para reduzir o desperdício de energia nas instalações de embalagem de produtos e contribuir a sua meta de atingir emissões líquidas de carbono zero nas operações até 2040. Equipada com dados das tecnologias e análises avançadas de sensor da Emerson, a Colgate já constatou uma redução de 15% no uso de energia em várias linhas de embalagens de pasta de dentes e escovas de dentes e espera uma economia de energia ainda maior à medida que a tecnologia é implementada de forma mais ampla.

O projeto faz parte do programa de transformação digital da Colgate e usa sensores pneumáticos AVENTICS TM especializados e arquitetura de software habilitada para IIoT para monitorar com precisão a vazão de ar comprimido em tempo real para identificar vazamentos, otimizar processos pneumáticos e melhorar a eficiência do fluxo de ar. Devido à forte dependência de sistemas pneumáticos na produção de bens de consumo em grande escala, reduzir a quantidade de
energia associada a ar comprimido contribui não apenas para os esforços de sustentabilidade, mas também para a integridade e confiabilidade geral do equipamento.

“A Colgate é uma empresa inovadora e preocupada com o crescimento, e está reimaginando um futuro mais saudável para todas as pessoas, seus animais de estimação e nosso planeta. Essa colaboração é um excelente exemplo de como o poder da digitalização está nos ajudando a atingir nosso objetivo, atendendo às nossas ambições globais de sustentabilidade e desempenho”, declarou Warren Pruitt, vice-presidente de serviços globais de engenharia da Colgate-Palmolive.
“Economizar energia por meio do monitoramento do fluxo de ar é apenas a ponta do iceberg. Com uma mentalidade de experimentar e aprender, podemos dimensionar lições de sucesso em nossa pegada global e ajudar a atingir nossos objetivos de sustentabilidade.”

Na implementação na Colgate, o Sensor de vazão inteligente AVENTICS série AF2 da Emerson calcula os dados de uso de ar com o software integrado que exibe as tendências e anomalias nos painéis de análise, permitindo que os operadores regulem facilmente as pressões de alimentação 1/3 e detectem vazamentos. A conectividade integrada do sistema facilita a implantação e fornece percepções imediatas no nível de máquina, com capacidade de rede abrindo caminho para monitorar o uso de ar comprimido em toda a empresa.

“Sentimo-nos honrados em trabalhar em estreita colaboração com a Colgate-Palmolive, cuja marca Colgate é encontrada em mais lares do que qualquer outra”, afirmou Mark Bulanda, presidente executivo da divisão de soluções de automação da Emerson. “Projetos como esse comprovam a tecnologia disponível hoje para detectar vazamentos de energia prejudiciais e onerosos, otimizar processos de fabricação e fazer uma diferença mensurável no cumprimento das metas de sustentabilidade.”

TAGS: ,

Deixe seu comentário

0

HoneywellA Honeywell (NASDAQ: HON) anuncia uma nova tecnologia de bateria de fluxo que funciona com fontes renováveis de geração ??- como eólica e solar – para atender a crescente demanda por armazenamento sustentável de energia. A nova bateria de fluxo usa um eletrólito seguro e não inflamável, que converte energia química em eletricidade para armazenar energia para uso posterior, atendendo aos padrões ambientais, de longevidade e de segurança das concessionárias de serviços públicos.

A solução oferece maior flexibilidade e duração estendida para concessionárias de serviços públicos. A bateria armazena energia que pode ser usada quando não há vento ou sol, em caso de queda de energia enquanto as redes elétricas estão em plena capacidade. Ela pode armazenar e descarregar eletricidade por até 12 horas, excedendo a duração das baterias de íon-lítio, que podem descarregar eletricidade por até 4 horas. A bateria foi projetada com componentes recicláveis ??e não se degrada com o tempo, garantindo o desempenho do sistema, e uma tecnologia confiável e de baixo custo por até 20 anos.

“Com esta bateria de fluxo, a Honeywell desenvolveu uma tecnologia inovadora para atender às necessidades futuras de armazenamento sustentável de energia que vão além das tecnologias atuais disponíveis no mercado. À medida que concessionárias e corporações buscam alternativas econômicas para usinas movidas a carvão com as soluções de armazenamento de energia de longa duração, elas estão mudando para metas de energia renovável que funcionam 24 horas por dia para reduzir as emissões de carbono, e a tecnologia da Honeywell pode ajudá-las a chegar lá”, disse José Fernandes, vice-presidente e gerente geral da Honeywell Performance Materials and Technologies para a América Latina.

O equipamento também pode ser combinada com outras tecnologias e fontes de geração renovável para fornecer uma solução de armazenamento de energia integrada e completa para concessionárias e produtores de energia independentes para atender às metas de neutralidade de carbono. O sistema geral também posicionará a Honeywell como um dos primeiros fornecedores de soluções de armazenamento de energia verticalmente integrados de ponta-a-ponta, desde a fabricação de baterias até a integração, controles, sistemas de gerenciamento de energia e contratos de desempenho.

“A Honeywell recentemente se comprometeu a alcançar a neutralidade de carbono em suas operações e instalações até 2035. Esse compromisso se baseia no histórico da empresa de reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa devido à nossa longa história de inovação tecnológica de décadas. Na verdade, cerca de metade do investimento em pesquisa e desenvolvimento de lançamento de novos produtos da Honeywell é direcionado a produtos que melhoram os resultados ambientais e sociais para os clientes e para as comunidades com as quais trabalhamos”, menciona José Fernandes.

A tecnologia de bateria de fluxo será testada nos EUA pela Duke Energy. A Honeywell entregará uma unidade de 400 quilowatts-hora (kWh) para as instalações da Duke Energy em Mount Holly, N.C. em 2022, com o objetivo de implantar um projeto piloto em escala de serviço público de 60 megawatts-hora a partir de 2023.

“Os testes com a Duke Energy nos permitirão implementar essa tecnologia inovadora de armazenamento de energia em escala e trazer ao mercado uma bateria de fluxo revolucionária para atender às crescentes demandas de armazenamento de energia enquanto auxilia as empresas a cumprirem suas metas de carbono neutro”, disse Fernandes.

Mais informações: https://www.honeywell.com/br/pt 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

stemacFrente a um período desafiador para a economia nacional, a Stemac, completa 70 anos em dezembro com motivos para celebrar e projeções otimistas para 2022: nova sede em Porto Alegre (RS), que se consolidará como matriz tributária e de gestão centralizada de suas áreas administrativas, e operação fabril em um espaço de mais de 100 mil m² em Itumbiara (GO), local onde projeta a construção de uma usina fotovoltaica.

Para comemorar a data, a empresa preparou uma campanha especial para o mês, que resgata a trajetória da Stemac e convida seus colaboradores a participarem da celebração de aniversário. Na ocasião, os profissionais receberão um brinde com um convite para postar em suas redes sociais uma mensagem à aniversariante com as hashtags #Stemac70anos #AEnergiaQueNosMove #StemacGruposGeradores. Todas as mensagens postadas serão repostadas nas redes sociais da marca.

A companhia carrega, ao longo destes 70 anos, importantes marcos que a colocaram entre as 20 maiores fabricantes de grupos geradores do mundo. Com mais de 50 operações distribuídas em 24 estados do país e capacidade produtiva de 15 mil unidades por ano, a Stemac iniciou suas atividades em 1951, comercializando acessórios e peças para automóveis importados e pequenos motores a gasolina.

Com o crescimento da demanda por energia segura e confiável, a empresa se especializou na fabricação de grupos geradores de energia, oferecendo soluções eficazes, imediatas e acessíveis, que garantem autonomia energética e ainda permitem baixas emissões atmosféricas, e trazendo como aliados estratégicos os maiores players mundiais.

“Hoje em dia, a possibilidade de garantir autonomia energética para seu estabelecimento comercial, industrial, ou para sua residência, é muito acessível. Além da evolução tecnológica, que permite baixas emissões atmosféricas, o nível de ruído é insignificante. O preço e condições de financiamento dos equipamentos, combinados com os benefícios de ‘não parar’ a atividade empresarial e, acima de tudo, garantir a sua segurança pessoal e patrimonial, asseguram uma relação custo x benefício extremamente positiva”, destaca Valdo Marques, vice-presidente executivo da Stemac.

Movidos a diesel ou a gás, os grupos geradores da empresa entram como “back-up” no fornecimento de energia. É o caso da linha Minigen, disponível em 25 e 32 kVA. A solução é compacta e silenciosa não requer obras de instalação, sendo a opção ideal para proteger empresas ou condomínios de quedas ou grandes períodos de falta de energia, pois tem autonomia para fornecimento de energia por até cinco horas, sem necessidade de reabastecimento.

Já para cargas críticas, em locais onde é imprescindível a alimentação de energia contínua e ininterrupta, os grupos geradores estão disponíveis de 25 a 3125kVA. Também há a linha Duogen, uma opção segura e moderna com dois grupos geradores em um mesmo container que proporcionam maior flexibilidade, funcionando um como emergência do outro, ou em paralelo, compondo uma geração de 1000kVA a 1500kVA.

Entre os grupos geradores a gás, as linhas foram projetadas pensando na praticidade e na segurança. Todos os equipamentos fabricados pela Stemac podem ser controlados manualmente ou de forma automática, permitindo a alternância dos principais parâmetros e grandezas elétricas.

“Desenvolvemos diversos sistemas de controle e proteção que tornam a usabilidade mais eficaz, além de auxiliar o cliente na redução do consumo energético”, complementa Marques.

O vice-presidente ressalta que os geradores a gás funcionam com diversos tipos de gases, como o natural ou o gás de aterro sanitário e tratamento de efluentes, por exemplo, sendo de grande confiabilidade e com baixas emissões atmosféricas.

Sistemas de monitoramento remoto e controle

As soluções em sistemas de geração de energia da Stemac de baixa e média tensão foram criadas com tecnologia avançada, que incluem controles microprocessados integrados.

Empresas das mais diversas modalidades poderão optar pelo STR (Sistema de Transferência em Rampa), cuja tecnologia atua para garantir utilização em horário de pico, sem riscos de interrupção de energia; ou pelo PPR (Paralelismo Permanente com a Rede), para garantir que a manutenção da demanda não exceda o valor definido.

Entre as principais inovações do setor, a Stemac destaca o investimento em aplicativos de supervisão e sistemas de controle dos grupos de geradores, facilitando a monitoração de grandezas elétricas e térmicas.

As ferramentas mais modernas podem ser utilizadas em dispositivos diversos, até mesmo em tablets e smartphones, permitindo controle em tempo real e remoto. Além dessas vantagens, os sistemas desenvolvidos pela companhia realizam o mapeamento com locais estáticos e criam alertas automáticos, ampliando a segurança.

Marques destaca ainda que tais recursos são constantemente atualizados no sentido de acompanhar as diferentes demandas do mercado. “Todos os sistemas desenvolvidos na Stemac são frutos do investimento contínuo em tecnologia e da busca constante pelo aperfeiçoamento ao longo dos 70 anos da empresa, tendo em mente as necessidades particulares de cada cliente.”

Responsabilidade socioambiental

Todos os processos da marca são norteados pelos princípios da sustentabilidade, tendo como foco a oferta de soluções em energia de forma consciente e com responsabilidade social.

“Está em nosso DNA a utilização de tecnologias menos poluentes, bem como a promoção de ações que envolvam toda a comunidade, pois entendemos que atitudes geram mudanças e é fundamental que possamos dar nossa contribuição para as gerações futuras. Em breve, teremos novidades relevantes nesta área. Estamos projetando a construção de uma usina fotovoltaica no Centro-Oeste. O projeto ainda é embrionário, mas já nos orgulha muito”, frisa o executivo.

Com essa missão, em 2011, a Stemac investiu na construção de uma fábrica totalmente autônoma em água e energia. “Utilizamos telhas com lentes prismáticas, que aumentam a iluminação solar, inibindo o calor e os raios solares prejudiciais à saúde. Assim, reduzimos a necessidade de iluminação artificial. Aliada a um sistema natural de troca de ar, essa tecnologia também aumenta o conforto térmico”, afirma o executivo.

Além disso, a Stemac faz investimentos sociais relevantes para a comunidade, entre eles o Natal Luz, o Festival de Cinema de Gramado e o Projeto Pescar, onde jovens em situação de vulnerabilidade participam de atividades promovidas pela empresa, como acesso a cursos profissionalizantes e apoio escolar. Este último, no entanto, está em stand-by por conta da pandemia de Covid-19 e será retomado em 2022.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

RudolphJPGRudolph Usinados, de Timbó (SC), concluiu a implementação de projeto que aumentará a produtividade das células dedicadas ao mercado automotivo, para o qual se destina 60% da produção da indústria de componentes mecânicos. Intitulada “Hands-on: Aprendendo Fazendo”, a estratégia faz parte de um amplo programa que busca alavancar alianças para o setor automotivo, dentro do chamado Rota 2030, do governo federal, e tem como focos o aumento da competitividade e o desenvolvimento tecnológico do setor. Realizado com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública brasileira de fomento, e consultoria do Senai/SC, o trabalho tem por eixo a aplicação de metodologias Lean Manufacturing (ou “manufatura enxuta”) no processo fabril.

Escrito no ano passado, no auge da pandemia, e submetido ao Rota 2030 para validação, o projeto recebeu subsídio de R$ 120 mil para sua concretização. Foram 600 horas de consultoria às equipes envolvidas, entre fevereiro e outubro de 2021. “Concluímos o trabalho com sucesso e atingimos as metas estabelecidas”, comemora Zico Rezini, diretor de Operações da Rudolph unidade de Timbó. Entre as etapas do projeto, o executivo destaca a otimização da operação logística e a resolução de desvios identificados no processo, como parte da estratégia para ampliar a eficiência da fabricação. “As ações permitiram ganhos de produtividade sobre gaps de alta complexidade, utilizando desde ferramentas Lean Manufacturing até a simulação computacional, que auxiliou com a digitalização das proposições e trouxe segurança ao processo de implementação”, ressalta o diretor.

“Esse tipo de parceria é fundamental para o desenvolvimento da indústria. Com o apoio do Rota 2030 e a competência técnica do Senai, foi possível maximizar os resultados na área produtiva, gerando impactos que vão além dos ganhos financeiros e estão alinhados com a busca da excelência operacional”, avalia Rezini. A capacitação dos profissionais da Rudolph em torno das ferramentas de Lean Manufacturing permitirá que o resultado seja replicado em outras células produtivas e na área de logística.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

omegaA Omega, maior geradora brasileira de energia renovável, anuncia um contrato de longo prazo com a Air Liquide, empresa entre as líderes mundiais em gases, tecnologias e serviços para setores como indústria, meio ambiente e saúde. A parceria resultará no abastecimento de energia 100% renovável para a produção de uma unidade da Air Liquide no Nordeste do país, entregando ao mercado produtos que vão ao encontro do objetivo de reduzir a emissão de carbono já divulgado pelo Grupo Air Liquide, que possui metas de reduzir as emissões de carbono até 2035 e zerá-las até 2050, sendo a energia elétrica um importante fator para atingir esses objetivos. Esses produtos são e continuarão sendo essenciais, dentre outras aplicações, para manutenção da vida em hospitais da região, como foi observado com maior intensidade durante os picos da pandemia de Covid-19.

A companhia está sempre pronta para gerar valor aos seus clientes, oferecendo soluções alinhadas à estratégia de atuação sustentável de seus parceiros, como é o caso da Air Liquide. Esse projeto apresenta os selos REC dos parques de energia renovável, o que possibilitará o abatimento das emissões para compra de energia (Escopo 2 do GHG Protocol) e contribuirá para a redução de aproximadamente 25 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

“Essa parceria ressalta nosso compromisso com a agenda ESG e a relevância que temos na estratégia de grandes companhias globais como a Air Liquide. A Omega tem muito orgulho de poder fornecer energia limpa, sustentável e competitiva para uma empresa que utiliza a força da ciência e inovação para atuar como referência na transição energética e promover melhorias para a sociedade.” afirma Fabiana Polido, diretora comercial da Omega.

“Mantemos o nosso compromisso de melhorar a experiência dos nossos clientes por meio da entrega de produtos e serviços de uma forma mais sustentável. Este contrato com a Omega é mais uma clara demonstração da Air Liquide Brasil com o seu compromisso na redução da emissão de carbono e na fabricação de produtos “verdes”. Continuamos determinados em propor soluções que atendam a demanda da sociedade, e dos nossos clientes e pacientes, bem como as expectativas dos nossos colaboradores.” afirma Fábio Nascimento, diretor de Grandes Indústrias da Air Liquide Brasil.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

solisA Win Energias Renováveis, distribuidora de equipamentos fotovoltaicos pertencente ao Grupo All Nations, acaba de anunciar uma parceria com a chinesa Ginlong Solis para trazer ao País uma tecnologia de inversor que permite o controle de carga e de consumo de eletricidade para os usuários de energia solar no Brasil.

Trata-se do último lançamento do inversor “zero grid” da marca Solis, uma solução destinada para projetos fotovoltaicos em regiões isoladas da rede elétrica ou para funcionar como backup de sistemas conectados no fio da concessionária, seja para viabilizar o consumo nos horários de pico ou para proteger as instalações solares contra surtos e falhas de fornecimento.

A nova tecnologia permite gerenciar a energia produzida pelo sistema fotovoltaico, evitando a injeção na rede da distribuidora local ou controlando a capacidade que pode ser injetada. O inversor possibilita que o consumidor direcione a energia produzida em sistema grid zero para a demanda de um determinado quadro de distribuição ou para diversas atividades específicas.

“Trata-se de um sistema inteligente que controla a geração de acordo com a necessidade de cada consumidor em carga e consumo”, comenta Camila Nascimento, diretora comercial da Win Energias Renováveis.

A oferta da nova tecnologia no País integra o plano de expansão da empresa em novos projetos de energia solar em telhados e pequenos terrenos. A companhia registrou um aumento de 448% no faturamento com a comercialização de kits solares utilizados em residências e empresas entre janeiro e agosto deste ano em comparação com o mesmo período de 2020. O aumento nas vendas ocorre justamente no período de crise hídrica no setor elétrico e de elevação máxima na conta de luz com a nova bandeira tarifária de escassez hídrica.

A Win Energias Renováveis pretende figurar entre as TOP 3 empresas de distribuição de geradores fotovoltaicos no Brasil este ano. Ao longo dos dois anos de atuação, a empresa forneceu equipamentos fotovoltaicos para mais de 3,4 mil projetos de energia solar em residências, comércios, indústrias e propriedades rurais no País, espalhados por todos os estados brasileiros, sendo muitos deles para consumidores de média e baixa rendas.

“Somos a distribuidora que possui uma das melhores ferramentas web de criação de gerador fotovoltaico e uma das poucas grandes que trabalham com todas as tecnologias de inversor: inversor de string, microinversor e otimizador SolarEdge, além de mantermos parceria com importantes marcas, como Fronius, Canadian e JA, que já fazem parte do portfólio de produtos”, conta Camila.

A distribuidora, sediada no Rio de Janeiro, consegue atender a todos os tipos de projetos dos integradores, desde sistemas em residências pequenas e médias, bem como em estabelecimentos comerciais e também para grandes usinas”, acrescenta.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

 image001Hypertherm, uma fabricante de sistemas e softwares industriais de corte nos EUA, anunciou hoje três novos sistemas de plasma a ar chamados Powermax SYNC®. Com inteligência integrada e um revolucionário consumível de cartucho de peça única, essa próxima geração dos sistemas Powermax65/85/105 é diferente de qualquer outro plasma no mundo.

O sistema Powermax SYNC e sua tocha SmartSYNC® substituem a tradicional pilha de consumíveis de cinco peças por um único cartucho codificado por cor. A tecnologia incorporada em cada cartucho define automaticamente a corrente, pressão de ar e modo de operação corretos e permite que os operadores saibam quando um novo cartucho é necessário. Além disso, os controles da tocha SmartSYNC permitem que os operadores ajustem a corrente e troquem o cartucho sem retornar à fonte de alimentação.

“A série Powermax SYNC oferece uma incrível facilidade de uso, menor custo operacional e melhor desempenho do que qualquer outro plasma a ar anterior”, disse Erik Brine, gerente geral da equipe Powermax da Hypertherm. “Estamos entusiasmados em apresentar o que é realmente um produto inovador para o setor de fabricação. Esta operação simplificada serve para ajudar os fabricantes a resolver muitos dos desafios mais difíceis que enfrentam hoje, eliminando erros do operador, tempo de máquina parada, localização de defeitos, desperdício e tempo de treinamento, enquanto oferece a mesma confiabilidade líder do setor pela qual todos os sistemas Powermax são conhecidos.”

Para manter o compromisso da Hypertherm de oferecer atualizações de tecnologia aos proprietários de seus sistemas a plasma mais antigos, os engenheiros da Hypertherm desenvolveram um adaptador para tochas Duramax® e Duramax Lock. Isso permitirá que os proprietários dos sistemas Powermax45 XP e Powermax65/85/105 aproveitem alguns benefícios da plataforma de consumíveis de cartucho, como trocas mais rápidas, pedidos e rastreamento de estoque mais fáceis, vida útil mais longa e qualidade de corte aprimorada.

Acesse: https://www.hypertherm.com/pt/learn/about-our-products/powermax-plasma-cutting-and-gouging-systems/

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

Mike Capone, CEO da Qlik.

Mike Capone, CEO da Qlik.

Qlik anunciou a aquisição da Big Squid, fornecedora de aprendizado de máquina automatizado “no code” (AutoML), para expandir a capacidade das equipes de dados e analytics de aproveitar recursos avançados de análise aumentada, como avaliação dos fatores chave, análise preditiva e planejamento de cenário “what-if” com modelos de IA implementáveis por API para previsões diretamente no Qlik.

A combinação da Big Squid com os recursos analíticos aumentados existentes da Qlik – que já incluem integrações de API diretas com mecanismos de terceiros e o assistente de IA integrado ao Insight Advisor – expande o conjunto de recursos mais robustos do setor para analytics  em nuvem.

Com a aquisição da Big Squid, a Qlik avança ainda mais sua visão de inteligência ativa, na qual a tecnologia e os processos acionam operações imediatas a partir de dados em tempo real, atualizados e confiáveis para acelerar o valor do negócio em toda a cadeia de dados e analytics.

“As equipes de Dados e Analytics sabem que existe um incrível potencial inexplorado de usar os dados para prever e planejar o que vai acontecer. O que eles não têm são os recursos e a experiência em modelagem para descobrir e fornecer os insights que alimentam esses esforços”, afirmou Mike Capone, CEO da Qlik.

“Com os recursos de AutoML “no code” da Big Squid, as equipes serão capazes de aumentar, de forma contínua e fácil, seus esforços em analytics diretamente no Qlik com modelos baseados em IA que fornecem insights exclusivos para planejamento e ação oportunas quando mais importa”, completou.

Com a Big Squid, as organizações que possuem dificuldades para ir além das análises principais de seu analytics terão auxílio para compreender melhor os principais impulsionadores de negócios, expandir a capacidade de prever potenciais cenários e planejar ações futuras de forma mais eficaz. Quando integrado a uma plataforma completa de inteligência ativa, a Big Squid ajudará os clientes a responder perguntas mais complexas com mais facilidade, independentemente da fonte de dados.

“Entregar a estratégia certa para nossos clientes depende de nossa capacidade de analisar o volume de dados internos e externos para previsões precisas sobre as necessidades e tendências”, disse Bob Atkins, CEO da Gray Associates.

Segundo ele, a combinação do Qlik e da Big Squid ajuda a gerar insights “essenciais e exclusivos” a partir de milhões de linhas de dados com diversos cálculos de forma rápida e em escala, quase eliminando o custo e a sobrecarga da experiência interna em ciência de dados. “Não poderíamos ter começado com IA sem os especialistas em software e ciência de dados Qlik e Big Squid”, finalizou.

A Big Squid expandirá ainda mais o roadmap de SaaS existente da Qlik, abrangendo análise de fatores-chave, análise preditiva e planejamento de decisões “what-if”. Além disso, trará valor imediato para os clientes on-premise e como parte do Qlik Cloud, no qual o Qlik continuará a oferecer suporte ao AutoML para uma ampla variedade de fontes de dados (incluindo Google, Microsoft e Snowflake). A Big Squid também ajudará esses clientes a modernizarem seu analytics com o Qlik Cloud, oferecendo ainda mais recursos que ajudarão os usuários de analytics de todos os níveis de conhecimento a criar e impulsionar insights que exijam ação.

“Plataformas de Business Intelligence e  analytics ajudam as organizações a entender o que aconteceu e por quê, mas os usuários querem cada vez mais saber o que vai acontecer e o que eles podem fazer a respeito”, explicou Doug Henschen, vice-presidente e analista principal da Constellation Research.

“Antigamente, esses insights preditivos eram deixados inteiramente para os cientistas de dados, mas os geradores de tendências estão fechando a lacuna entre BI, analytics e ciência de dados. Com a aquisição da Big Squid, a Qlik está ampliando e acelerando seus esforços existentes para permitir que cientistas que não trabalham com dados sejam preditivos”, completou.

Os termos do acordo não estão sendo divulgados. A Qlik está totalmente comprometida em oferecer suporte a todos os clientes existentes da Big Squid, muitos dos quais são compartilhados pela Qlik.

Acesse: https://www.qlik.com/pt-br/

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

mineracaoO segmento de mineração é responsável, segundo o Ministério de Minas e Energia, por cerca de 2,5 % do PIB brasileiro, com um faturamento que atingiu R$ 209 bilhões em 2020, superando as expectativas, principalmente por conta das exportações de minério de ferro e ouro. Mas os desafios enfrentados pelo setor, no que se refere à infraestrutura, são imensos. Ambientes hostis, necessidade cada vez maior de contar com tecnologias que otimizem e reduzam os custos das operações, além da segurança dos trabalhadores são apenas alguns deles.

Hélio Sugimura, gerente de marketing da Mitsubishi Electric, aponta como a automação no ambiente operacional é a melhor solução para enfrentar alguns desafios. No webinar “Aplicando a automação em processos de mineração”, que acontece no próximo dia 19 de outubro, às 9h30, Sugimura irá mostrar como soluções robustas e confiáveis, podem oferecer melhoria operacional, segurança, confiabilidade e redução de custos, otimizando os processos neste segmento.

Saiba como soluções de automação e acionamentos oferecidas pela Mitsubishi Electric podem contribuir para que o setor supere ainda mais as expectativas do mercado, confirmando a sua posição como um dos segmentos mais promissores para a consolidação e o fortalecimento da economia do País, segundo estimativas do Ministério de Minas e Energia.

Inscreva-se gratuitamente em: https://conteudo.br.mitsubishielectric.com/webinar11-2021

Anote na agenda
Webinar gratuito: Aplicando a automação em processos de mineração
Data: 19/10, às 9h30
Link para inscrição: mitsubishielectric.com.br/webinars

Será concedido certificado aos participantes com permanência superior a 70% do tempo total da sessão ao vivo, estimada em uma hora.

Para aqueles que não conseguirem acompanhar a sessão ao vivo, a gravação do webinar ficará disponível a partir do dia seguinte, junto com webinars anteriores: mitsubishielectric.com.br/webinars

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

veracelTendo a sustentabilidade como premissa de seu negócio, a Veracel, empresa de celulose localizada na região Sul da Bahia, além de ser autossuficiente energeticamente em sua produção industrial, tem como segunda fonte de receita a oferta de energia limpa para outras empresas da região. Com uma operação consolidada de reciclagem de resíduos – são utilizados materiais da própria produção de celulose, caroço de açaí e bagaço de cana de açúcar – a companhia agora estuda novas fontes, como fibra do coco e cascas de cupuaçu, tanto para manter sua produção energética quanto para ampliar a reciclagem de passivos ambientais.

Em 2020, a Veracel produziu aproximadamente 919.873 MWh/ano de energia, sendo que 603.811 MWh/ano foram para consumo próprio e 89.352 MWh/ano foram exportados para a rede, um total que equivale ao consumo de 178.704 habitantes. Para o processo, a companhia utiliza resíduos da própria produção de celulose e outros materiais que seriam descartados como biomassa para a queima nas caldeiras da empresa.

“A cada ano que passa, a Veracel se torna mais eficiente quanto à utilização de toda sua produção de madeira para a celulose, isso nos dá a oportunidade de intensificar nossos estudos em novas possibilidades de materiais que podem ser transformados em energia, contribuindo tanto para o negócio da companhia quanto para o meio ambiente”, explica Estanislau Victor Zutautas, gerente de Recuperação de Utilidades da Veracel. “Já tivemos resultados bastante positivos no uso de caroço de açaí, cascas de cupuaçu e vimos potencial quanto ao uso das fibras das cascas do coco como biomassa para geração de energia limpa. Continuaremos estudando novas alternativas que possam contribuir para a matriz energética da empresa. Sabemos que o uso desses passivos ambientais vai além da compatibilidade de queima em nossa caldeira e depende muito de safras, do desenvolvimento de produtores locais, questões logísticas e do foco nos materiais que são mais descartados na região, por isso também estamos atentos às características econômicas do Sul da Bahia para o projeto”, complementa o gerente.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

infraestrutura Meio Ambiente Industrial máquinas exportação Perspectivas IBGE importação PIB CNI máquina Revista P&S Evento Feira Internacional da Mecânica Pesquisa inovação Artigo Investimento FIESP meio ambiente sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia Feimafe tecnologia Feira indústria Site P&S Radar Industrial