Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

camarabrasilalemanhaCinco encontros, 35 startups, 500 reuniões viabilizadas com a participação de mais de 30 empresas como Bayer, BASF, Lanxess, Mercedes-Benz e Volkswagen. Os números representam os resultados atuais do Startup Speed Dating, evento da iniciativa Startups Connected que promove encontros de negócios temáticos entre empresas e startups.

A iniciativa nasceu com o objetivo de contribuir de forma mais assertiva na geração de negócios entre empresas e startups. Por meio de encontro de negócios empreendedores conseguem apresentar suas soluções inovadoras para empresas ou departamentos. A ideia central é viabilizar diversas reuniões entre diferentes startups e empresas em apenas um dia e contribuir ainda mais para a geração de negócios.

“O grande diferencial do Startup Speed Dating é que ele atende às demandas de empresas no curto prazo. Além disso, o baixo custo do encontro viabiliza a participação de empresas de todos os portes que buscam um maior contato com startups de forma descomplicada”, comenta Bruno Vath Zarpellon, Diretor de Inovação e Tecnologia na Câmara Brasil-Alemanha e idealizador do encontro de negócios.

Os encontros já realizados durante este ano contaram com as temáticas “Logística e Compras”,“Legal, Tax e Compliance”, “Comunicação e Marketing” e “Recursos Humanos”. A dinâmica do evento é simples: startups e empresas indicam com quais participantes gostariam de conversar e, havendo um match, a reunião é agendada como prioridade. Como o nome do evento já indica, as reuniões são rápidas, de até 15 minutos, tempo que deve ser utilizado para um pitch, uma conversa inicial sobre a aderência da solução à demanda, com o objetivo de entender se há ou não interesse em levar a discussão adiante.

Os encontros têm se mostrado eficazes: a partir do primeiro contato feito durante a ocasião, mais da metade das conexões geraram uma segunda reunião. Após o evento, cabe às empresas e às startups darem continuidade ao relacionamento.

“O Startup Speed Dating foi primordial nos contatos iniciais de soluções que possam nos ajudar a alavancar nossos negócios por meio da transformação digital. A Bayer procura estar sempre conectada às novas ideias e esta parceria faz com que o processo seja enriquecedor”, confirmou Camila Arcanjo da área de Supply Chain da Bayer.

Já as startups também enxergam valor na iniciativa promovida pela Câmara, já que a distância entre elas e as gigantes do mercado é diminuída significativamente. “Para a startup Comprovei o evento foi muito bom. Ficaríamos honrados em sermos convidados novamente, participaríamos com certeza. Tivemos várias oportunidades de contatos para prosseguir o relacionamento com as empresas convidadas”, comentou Halley Takano, CEO da startup Comprovei. A startup participou do encontro focado nas áreas de logística e compras.

Serviço -

6º encontro Startup Speed Dating

Data e horário: 12 de dezembro das 14 às 16 horas

Local: Co.W Coworking – Rua Jaceru, 225

Mais informações e inscrições pelo e-mail inov.assist@ahkbrasil.com

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

absolarAs diretrizes anunciadas recentemente pelo estado da Califórnia (EUA) para incentivar a fonte solar fotovoltaica, com a incorporação da tecnologia em todas as novas residências da região a partir de 2020 e em todas as novas edificações comerciais a partir de 2030, representa um marco para o setor e deve servir de inspiração para os governos federal e estaduais brasileiros.

Para o presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), Ronaldo Koloszuk, o Brasil está 15 anos atrasado quanto ao desenvolvimento da fonte solar fotovoltaica. “Por isso, o País precisa estabelecer uma política de Estado para o setor, alinhada às melhores práticas internacionais, capaz de promover o uso sustentável das energia solar fotovoltaica em todas as regiões do Brasil”, recomenda

“Para isso, a entidade propõe uma meta de atingir pelo menos 30 Gigawatts (GW) da fonte solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira até 2030”, acrescenta. Segundo Koloszuk, trata-se, na verdade, de incluir a fonte como uma ferramenta estratégica para o desenvolvimento do País. “O Brasil, possui um dos melhores recursos solares do planeta e deve acelerar suas iniciativas para se posicionar como protagonista mundial no desenvolvimento da fonte solar fotovoltaica”, ressalta.

Adicionalmente, há menos de 30 dias o Governador da Califórnia ratificou uma nova lei estadual que estabeleceu que, a partir de 2045, 100% da energia elétrica consumida na região deverá ser proveniente de fontes limpas e não-emissoras de gases de efeito estufa, principalmente renováveis, como a solar fotovoltaica.
O CEO da ABSOLAR, Dr. Rodrigo Sauaia, destaca ainda que o Brasil desponta entre os dez principais países do mundo na produção de energia elétrica a partir das fontes hídrica (2º lugar), biomassa (4º lugar) e eólica (8º lugar), com exceção da solar fotovoltaica, para a qual o País ainda está na trigésima posição. “Com um programa estruturado para potencializar o desenvolvimento da energia solar fotovoltaica no Brasil, teremos condições de subir posições neste ranking, ao mesmo tempo em que agregaremos ao País diversos benefícios sociais, econômicos, ambientais, energéticos e estratégicos, contribuindo para a construção de um futuro alinhado ao desenvolvimento sustentável e com mais empregos renováveis”, conclui Sauaia.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

froniusO hidrogênio é um importante elemento para a integração de setores, isto é, para a eficiente utilização de energias renováveis nos setores de corrente elétrica, calor e mobilidade. Também é com essa finalidade que a Fronius trabalha no desenvolvimento de soluções para a produção de hidrogênio verde a partir a energia solar excedente de sistemas fotovoltaicos. Com o sistema de abastecimento SOLH2UB em Thalheim bei Wels, agora a empresa mostra que esse conceito funciona perfeitamente.

 O sistema-piloto na unidade de desenvolvimento da Fronius já está funcionando de forma experimental desde maio. Por meio de eletrólise, o sistema produz hidrogênio – principalmente a partir de energia solar excedente –, que fica disponível para veículos da empresa providos de células de combustível ou que é armazenado para a reconversão em corrente elétrica e calor. Os componentes necessários, como sistemas de eletrólise e células de combustível estacionárias, são desenvolvidos pela própria Fronius.

 Após a inauguração oficial em meados de outubro, o sistema passará a ter um funcionamento normal. “O SOLH2UB funciona como um ponto de convergência central no âmbito da energia solar e possibilita uma inovadora integração dos setores de corrente elétrica, mobilidade e calor“, explica Martin Hackl, diretor da Solar Energy na Fronius International GmbH. “Temos certeza de que o hidrogênio tem potencial para se tornar uma das fontes energéticas do futuro e impulsionar enormemente a integração dos setores e, consequentemente, a transição energética.”

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

O que vamos beber?

Icone Opinião,Perspectivas | Por em 25 de setembro de 2018

0

lucas moreiraPor Lucas Moreira*

Você já parou para pensar quantas vezes ao dia se alimenta? Muitas pessoas podem responder: “três vezes, Lucas.” Normalmente, as refeições diárias se dividem em almoço, jantar e o desjejum. O café da manhã, porém, é considerado a refeição mais importante por muitos especialistas. Tamanha responsabilidade é carregada também em seu nome. Não à toa é homônimo a segunda bebida mais consumida no mundo: o café. Não apenas ao acordar, mas é comum ver pessoas reenchendo canecas e canecas com café ao longo das 24 horas.

No ranking mundial de consumo, o Brasil fica em segundo lugar. Apenas em 2017, os brasileiros ingeriram 1,7 milhão de toneladas de café. E esse mercado só cresce. No primeiro semestre do ano, tivemos duas enormes movimentações no ramo lideradas por grandes marcas: Starbucks e Coca-Cola.

O Starbucks, com cerca de 29 mil lojas no mundo inteiro e faturamento de 22,4 bilhões de dólares (quase 80 bilhões de reais), vendeu para a Nestlé os direitos perpétuos de fabricar e vender café solúvel, em grão e moído, como também cápsulas da marca, por 7,15 bilhões de dólares. Lembrando que esse acordo não inclui as lojas nem bebidas prontas para consumo.

A Coca-Cola continua vislumbrando um futuro promissor para além dos refrigerantes, diversificando sua atuação e acreditando em uma das categorias com maior ascensão no mundo. A multinacional comprou a rede de cafeterias Costa Coffee, líder de mercado no Reino Unido e com cerca de 4 mil lojas espalhadas pelo mundo, por 5,1 bilhões de dólares (quase 20 bilhões de reais).

Mas não são só as grandes empresas que estão de olhos abertos. Em um País empreendedor como o Brasil, alguns empresários já estão antenados com a tendência e investindo no segmento. Como é o meu caso com a Splash, cafés e bebidas urbanas. Resolvemos investir no negócio de cafeterias com uma proposta similar a do Starbucks, porém com sabores de diversas regiões do Brasil. A empresa nasceu com o objetivo de ser o ponto de encontro e conexão entre pessoas, por meio, principalmente, de nossas bebidas exclusivas com o toque do café.

Sempre há uma oportunidade, basta conseguirmos enxergar o que nós mesmos estamos acostumados a fazer ou consumir e como oferecer produtos ainda inexistentes no mercado. Já sabemos que comemos, em média, três vezes ao dia, mas você tem ideia de quantos momentos são dedicados ao consumo de alguma bebida? Eu te convido, então, a pensarmos juntos. Mas, para isso, vamos tomar alguma coisa?

 

 

 

 

 

 

*Sócio-fundador da Splash

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

IltechSolucoesO mundo é movido pelas inovações. Dia após dia, são elas que levam as pessoas a mudarem conceitos, hábitos e evoluir. E, quando o assunto é evolução, as startups são ótimos exemplos, pois servem de guias, apresentando novas formas de resolver problemas antigos ou lidar com situações surgidas a partir do mundo atual.

Exatamente com esse propósito, a  tem chamado a atenção do segmento de energia elétrica. Focada em encontrar soluções de eficiência energética, a startup vem conseguindo otimizar o processo de distribuição de energia elétrica, reduzindo as perdas ocorrentes durante a distribuição. Em geral, elas chegam aos 30%.

Conforme Marco Neuwiem, diretor de negócios da Iltech, a startup também trabalha no desenvolvimento de soluções de software para engenharia. “Elas permitem aos clientes a criação de projetos de transformadores de energia de modo otimizado. Associamos hardwares de monitoramento desses equipamentos com baixo custo, algo que ninguém está realizando no Brasil”, explica.

Com cerca de 50 clientes em diferentes regiões do país, a Iltech também está dando a largada a operações nos Estados Unidos e em Portugal. A startup ainda mantém conversas avançadas com empresas suecas, enquanto desenvolve novas soluções. Um deles abrange hardware e software para monitoramento de equipamentos de transformação com baixo custo, além da assessoria aos clientes baseada nas informações provenientes desses equipamentos.

Atualmente, a empresa está em aceleração na Spin, primeira aceleradora de startups no Norte Catarinense e uma das primeiras do país com foco no atendimento às necessidades das indústrias. Durante o processo, a Iltech lançou uma inovadora solução de Internet das Coisas (IoT). A Transformer Scan é voltada ao monitoramento online de transformadores de energia elétrica que permite avaliar performance, antecipar falhas e alertar equipes de manutenção para que não haja interrupção no fornecimento de energia.

 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

MarintecSouthAmericaA Marintec South America 2019 já tem data marcada: será realizada de 13 a 15 de agosto, mais uma vez no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro. A próxima edição é a 16ª da feira de negócios, que é reconhecida como o principal evento da América do Sul dedicado aos setores da construção naval, manutenção e operações. Na mesma data e local está confirmada a 2ªedição da Man.U.Tec, feira de Manutenção e Utilidades Industriais.

Na última semana, a Marintec 2018 e a estreante Man.U.Tec 2018, receberam mais de quatro mil profissionais que puderam conferir as novidades da indústria naval e offshore, expostas por mais de 80 marcas nacionais e internacionais, e participar gratuitamente de cerca de 90 apresentações, entre palestras, workshops e treinamentos. Durante os três de evento, puderam ainda conhecer a Escola Móvel de Robótica Subaquática do SENAI, que qualificou dezenas de profissionais com um curso gratuito de “Aplicações, Conceitos Básicos de Operação e Prática Operacional do ROV Teledyne Seabotix LBV300-5″.

O saldo das duas feiras de negócios, entre os empresários e especialistas que marcaram presença no Centro de Convenções SulAmérica, seja com expositores ou como visitantes, foi positivo. “Há uma disposição nova de começar o quanto antes a reestruturar a dinâmica dos negócios na indústria naval brasileira. E, para nós, organizadores da Marintec/Man.U.Tec, é muito gratificante saber que colaboramos para este novo momento”, comentou o diretor do portfólio de infraestrutura da UBM Brazil, Renan Joel.

Durante os três dias de eventos, foram diversos depoimentos que sinalizaram o começo de uma retomada dos investimentos e dos negócios no universo naval. Como a afirmação do gerente de Negócios da Pesa, Esdro Câmara Júnior, “acredito que em 2019 começarão a aparecer os primeiros resultados. Na Marintec, recebemos muitas visitas de armadores interessados em nosso catálogo de produtos”.O vice-presidente de vendas da Navalex, Michael Vasallo, também comentou: “foi possível perceber que há um certo otimismo no mercado por parte dos empresários e a percepção geral é que a situação é um pouco melhor. Isso ajuda muito nos negócios”.

Mais informações: www.marintecsa.com.br

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

omronA OMRON anuncia o lançamento no Brasil do laboratório de inovação tecnológica Proof of Concept (PoC). Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da Indústria 4.0 no país, o PoC brasileiro conta com tecnologia de ponta para testar as últimas tendências em soluções integradas de automação industrial, incluindo robótica, redes industriais, segurança e controle de qualidade.

“A OMRON é reconhecida mundialmente por seu investimento em inovação impulsionada pelas necessidades sociais. Aumentar a segurança e eficiência na indústria são fatores cruciais para que nossos clientes se desenvolvam, sejam mais competitivos e se destaquem no mercado global. O conceito da Indústria 4.0 se apresenta como uma enorme oportunidade para o Brasil e o nosso laboratório Proof of Concept é mais uma forma de estimular este progresso”, destaca Carlos Neves, diretor da unidade de Automação Industrial da OMRON Brasil.

O Proof of Concept da OMRON está presente em países-chave entre os 117 em que a empresa possui operações. Por meio dele, a OMRON viabiliza testes e validações de sistemas que se comunicam em rede (EtherCAT, EtherNet/IP, OPC UA etc.), geram dados que ajudam na tomada de decisão e aplicações de inteligência artificial. Este processo minimiza riscos de falhas nas aplicações e garante o retorno do investimento em automação.

A estrutura do Proof of Concept da OMRON Brasil acomoda três células robotizadas capazes de trabalhar conectadas entre si no mesmo processo de fabricação ou separadas em aplicações independentes. “Esta flexibilidade é um elemento característico da Indústria 4.0. A partir da implementação das células robotizadas, as indústrias conseguem elevar a produtividade, reduzir custos e obter maior controle sobre o processo produtivo”, afirma o gerente de Marketing da OMRON Brasil, Edicley Machado.

Automatizadas 100% com produtos OMRON, as células são compostas por três robôs fixos desenvolvidos pela empresa: o Quattro 650H, o Viper 850 e o eCobra 800, além de um robô móvel colaborativo, o LD-90. O PoC da OMRON Brasil apresenta ainda uma integração completa da plataforma Sysmac, que reúne as tecnologias de automação industrial em um único software.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

diadoeconomistaOs economistas são aqueles que buscam compreender os processos coletivos, individuais e institucionais ligados aos fenômenos econômicos e socioeconômicos. Ou seja, o profissional desta área, em suma, pesquisa e organiza a produção, distribuição e consumo dos bens materiais e serviços.

No dia 13 de agosto comemorou-se o Dia do Economista, eles que ajudam as pessoas a entenderem os acontecimentos econômicos, por meio de ferramentas oferecidas de acordo com cada escola de pensamento. Para Klaus Schwab, presidente do Fórum Econômico Mundial, e Nicholas Davis, líder de Sociedade e Inovação do Fórum, o novo e principal fenômeno a ser estudado é a atual revolução industrial, inclusive, lançaram dois livros, no Brasil pela Edipro, sobre a temática: A Quarta Revolução Industrial e Aplicado a Quarta Revolução Industrial.

As mais recentes tecnologias estão reformulando a economia global, desde a forma como produzimos e transportamos os bens e serviços até o modo como nos comunicamos. Aplicando a Quarta Revolução Industrial aponta caminhos para que líderes e gestores possam gerenciar os riscos e complexidades dessas mudanças.

Alguns pontos são discutidos mundialmente na imprensa, e muitos deles são expostos nos dois livros do presidente do Fórum Econômico Mundial. Alguns dos mais importantes são: Novas tecnologias podem provocar saída de multinacionais do Brasil, Avanço de robôs desafiam trabalhadores do futuro e A Quarta Revolução Industrial

 

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

MerieuxNutriScienceA China é a maior produtora de agroquímicos do mundo. De acordo com o Conselho Chinês para Promoção do Comércio Internacional (CCPIT), em 2017, a produção de defensivos agrícolas foi de mais de três mil toneladas e o faturamento anual do segmento chegou aos 308 bilhões de iuanes.

Os avanços do mercado chinês estão diretamente relacionados com o desenvolvimento de novos produtos e os constantes investimentos em novas tecnologias e na melhora do processo produtivo dos defensivos. “O setor é um dos que mais cresce no país, pois as empresas têm capacidade para investir na produção de ingredientes ativos, que estão com as patentes quase expirando, como piraclostrobina e protioconazol, assim como produtos mais antigos como Glifosato, 2,4-D e Atrazina, conta a Gerente de Agroquímicos de Xangai da Mérieux NutriScience, Kathy Zhu.

Devido ao protagonismo brasileiro na produção agrícola, que acarreta no consumo de insumos, a China passou a procurar o Brasil para realização de estudos e análises, principalmente dos ativos de agroquímicos genéricos, com o objetivo de registrar os produtos e ingressar no mercado do país. “A procura pelo Brasil deve-se a atratividade do nosso mercado, pois somos um dos maiores produtores agrícolas do mundo. Além disso, com o objetivo de registar produtos no país e considerando o alto nível de exigência técnica das autoridades reguladoras MAPA, ANVISA e IBAMA, muitos fabricantes chineses optam por realizar os estudos em laboratórios brasileiros, que possuem conhecimento sobre as exigências especificas dos órgãos, assim como proximidade e acesso para manter discussões técnicas quando necessário. Os estudos realizados aqui também são aceitos nos países membros da OCDE, o que facilita o registro e posteriormente a venda do defensivo em outros mercados”, explica o Gerente de Desenvolvimento e Suporte Técnico da Mérieux NutriScience, Roberto Sardinha.

Para atender à crescente demanda chinesa, a Mérieux NutriScience desenvolveu um modelo de negócios especial para o país. Desde 2010, a companhia conta com um laboratório e uma equipe dedicada em Xangai.  Hoje, cerca de 50% da receita da empresa vem dos negócios realizados em território chinês. “Nos últimos anos, o market share da China em defensivos agrícolas vem crescendo de forma exponencial, por isso decidimos investir fortemente nesse mercado e os resultados obtidos até o momento são muito positivos”, afirma Sardinha.

A Mérieux NutriScience oferece ao mercado chinês todos os estudos necessários para o registro de produtos técnicos, que são as matérias primas com altas concentrações dos ingredientes ativos e dos formulados. Entre os testes mais procurados pela China, está o estudo de Cinco Bateladas, que analisa a composição química do produto, avaliando a quantidade de ingredientes ativos e as impurezas presentes.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

MiniempresajaJá pensou em participar e fazer a diferença orientando e compartilhando a sua experiência adquirida no mercado trabalho? Anualmente, acontece o Programa Miniempresa da Junior Achieviement São Paulo – uma das maiores ongs incentivadoras de jovens do mundo – e as inscrições para voluntários estão abertas!

A ideia é que o profissional proporcione uma experiência prática para jovens do ensino médio durante 16 semanas, sendo um encontro por semana dentro da escola. Eles participam de uma imersão em conceitos de gestão de pessoas, gestão financeira, planejamento de marketing e produção, além disso, terão a oportunidade de expor seus produtos em uma feira, que normalmente acontece em um shopping de São Paulo.

Mais informações:  http://jasaopaulo.formstack.com/forms/voluntario_miniempresa

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

Perspectivas negócios Site P&S infraestrutura máquinas exportação Radar Industrial IBGE importação PIB CNI Revista P&S Evento Pesquisa máquina inovação Feira Internacional da Mecânica Artigo Investimento meio ambiente FIESP sustentabilidade Lançamento máquinas e equipamentos mercado tecnologia Economia Feimafe Feira indústria