Visite o site da P&S Visite o site do Radar Industrial Visite o site da Banas Ir para página inicial RSS

0

Um ano próspero e cheio de excelentes realizações para todos! #SitePack #RevistaPack #RadarIndustrial #BlogIndustrial #RevistaPS #SitePS #FelizAnoNovo #IndústriaFortefeliz ano novo industria forte

TAGS:

Deixe seu comentário

0

Apunnamedós inaugurar três unidades fabris (duas no Paraná e uma no Rio Grande do Sul), consolidar estrutura de atendimento para a totalidade do mercado nacional e crescer acima da média do mercado em 2017 (12% a 13%), a Açovisa, empresa brasileira referência em distribuição de aços Gerdau, projeta expandir sua atuação para a América Latina em 2018.

“Trabalhamos muito esse ano para enfrentar e driblar os desafios econômicos que nosso País vive e estamos felizes em enxergar que nossos esforços na consolidação dos processos logísticos e de atendimento surtiram efeito e nos mantiveram na linha de crescimento”, afirma Francis Bassi de Melo, sócio-fundador da Açovisa.

Além da expansão para mercados vizinhos, incluindo Paraguai, Uruguai, Bolívia e Argentina, a empresa líder em distribuição de aço já conta com estrutura robusta para potencializar a atuação de suas 16 filiais espalhadas estrategicamente em território nacional. “Iniciamos 2017 acreditando na retomada gradual da demanda do setor e isso se consolidou”, pontua Bassi. “Para 2018, as perspectivas de restabelecimento do mercado são ainda maiores”, completa.

Para Andreis Bassi de Melo, também sócio-fundador da Açovisa, as perspectivas positivas para o ano que vem são viáveis porque os segmentos de máquinas e equipamentos, construção civil, autopeças agro, capital mecânico tendem a encerrar o ano melhor do que o início. “Nosso processo de expansão tem sido bastante estratégico, buscando chegar a mercados com clara demanda de aços especiais”, comenta ao justificar a intenção de atuar em países América Latina.

TAGS: , , , , ,

Deixe seu comentário

0

otimismoCrises e oportunidades podem andar juntas se tiverem o devido respaldo de uma visão estratégica e cuidadosamente forjada nas mais prementes necessidades do mercado, leia-se inovação, eficiência e qualidade com redução de custo.

Sabemos que isso ainda é pouco para quem planeja prosperar no mercado brasileiro tal como ele é, no melhor estilo montanha russa – cheio de curvas e ladeiras íngremes nas quais não se pode enxergar mais de um palmo adiante.

Evidentemente, no mundo empresarial a diferença entre naufragar com as estatísticas de economias decadentes e surfar nas ondas que tentam nos derrubar também depende de coisas como olhar para dentro. Avaliar nossas próprias proficiências e identificar rigorosamente cada uma de nossas fragilidades para então tratar de saná-las é indispensável para qualquer empresa em qualquer circunstância.

Dito isto ainda resta acreditar – otimismo é mesmo muito importante – e investir. Foi exatamente assim que conseguimos alçar em nossa empresa, 100% brasileira, o crescimento de 52% em serviços a projetos de engenharia em 2016, puxados principalmente por testes na área automotiva. Não foi uma tarefa fácil, como devem imaginar.

Dentro desse escopo projetamos para 2017 crescer mais 25%, respaldados por investimentos na expansão da estrutura de testes, no aumento e na capacitação do capital humano especializado – de que o mercado não dispõe – e em novos segmentos de negócios.

Cremos que fazer engenharia no Brasil seja uma chave importante para melhorar a eficiência e diminuir os obstáculos ao desenvolvimento mais rápido do setor produtivo brasileiro. Como players, temos apostado, com sucesso, na estratégia de trazer para o mercado serviços de suporte a processos de engenharia que não se encontravam por aqui.

No mundo corporativo não há quem ignore que a incrível lacuna existente no Brasil quanto ao suporte local a processos de engenharia, notadamente em segmentos industriais de alta complexidade como o automotivo, ainda gera muitos contratempos e dores de cabeça.

Não bastasse a eterna pressão para preços mais competitivos ante o custo Brasil, as empresas ainda sofrem as consequências de terem de mandar suas amostras ao Exterior para validação e testes, enfrentando trâmites alfandegários, despacho aéreo e marítimo e filas para a execução de testes, que podem levar meses se houver problemas na execução.

Não precisa ser assim. O desenvolvimento da economia brasileira acontecerá, e ainda temos imenso potencial a ser explorado com perspectivas positivas. Basta apostar no Brasil.
*Ricardo Nogueira é presidente da SMARTTECH, empresa 100% brasileira especializada em tecnologia e serviços de apoio a projetos de engenharia.

TAGS: , , ,

Deixe seu comentário

0

A indústria brasileira enfrenta dificuldades para retomar a atividade. Mas há sinais positivos no horizonte. A produção do setor voltou a cair e alcançou 45,8 pontos. O índice de evolução do número de empregados ficou estável em 46,5 pontos em setembro, informa a Sondagem Industrial, divulgada nesta sexta-feira, 21 de outubro, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores a pesquisa variam de zero a cem.

Quando estão abaixo de 50 indicam queda na produção e no emprego. Com isindso, quase um terço do parque industrial ficou ocioso no mês passado. O indicador de nível de utilização da capacidade instalada permaneceu em 66%, o mesmo registrado em setembro de 2015, e um dos mais baixos da série histórica mensal que começou em janeiro de 2011. No entanto, os estoques continuam ajustados. Isso significa que a produção voltará a crescer assim que a demanda aumentar. O índice de estoque efetivo em relação ao planejado ficou em 49,6 pontos em setembro. O indicador varia de zero a cem e quando está próximo dos 50 pontos mostra que os estoques efetivos estão de acordo com o planejado pelas empresas.

DESACELERAÇÃO DOS PREÇOS – Outro dado positivo é que diminuiu a insatisfação dos empresários com a situação financeira e a margem de lucro das empresas. “Após atingirem seus mínimos históricos no primeiro trimestre, os índices de satisfação com a margem de lucro e com a situação financeira aumentaram pelo segundo trimestre consecutivo”, diz a pesquisa da CNI. O indicador de situação financeira foi de 41,5 pontos e o de margem de lucro operacional alcançou 36,4 pontos no terceiro trimestre. Ambos, contudo, continuam abaixo da linha divisória dos 50 pontos que separa a satisfação da insatisfação. Além disso, o índice de evolução dos preços de matérias-primas recuou para 59,3 pontos no terceiro trimestre. “Trata-se do quarto recuo consecutivo do indicador, ou seja, o ritmo de crescimento dos preços vem se desacelerando desde o quarto trimestre de 2015. No período, o índice acumula recuo de 9,9 pontos”, afirma a Sondagem Industrial. De acordo com a pesquisa os estoques ajustados e a melhora, ainda que pequena, dos indicadores da situação financeira das empresas são importantes porque aumentam as possibilidades de recuperação da indústria no futuro.

PROBLEMAS E EXPECTATIVAS – A Sondagem Industrial também aponta os principais obstáculos enfrentados pelas empresas no terceiro trimestre. A elevada carga tributária, com 43,7% das respostas, ficou em primeiro lugar. Em seguida, com 41,8% das menções, aparece a demanda interna insuficiente e, em terceiro lugar, com 27,9% das assinalações, os empresários citaram a taxa de juros elevadas. Em outubro, as perspectivas dos empresários em relação aos próximos seis meses estão menos otimistas do que em setembro. O índice de expectativa de demanda caiu 2,6 pontos em relação a setembro e ficou em 52,3 pontos. O indicador de expectativa de compras de insumos e matérias-primas caiu para 49,7 pontos e o de exportações recuou para 50,8 pontos. “Não há mais expectativa de aumento de compras de matérias-primas ou de aumento da quantidade exportada”, diz a pesquisa.

O indicador de expectativa de evolução do número de empregados também caiu para 46 pontos, o que significa que os empresários não pretendem contratar nos próximos seis meses. Os indicadores de expectativa variam de zero a cem pontos. Abaixo que 50 mostram que as perspectivas são de queda. Com perspectivas menos otimistas, a disposição dos empresários para investir continua baixa. O índice de intenção de investimento ficou em 43,5 pontos em outubro. Embora esteja 4,2 pontos abaixo da média histórica, o indicador não apresenta queda há seis meses consecutivos e está 2,8 pontos acima dos 40,7 pontos registrados em outubro do ano passado.

A Sondagem Industrial foi feita entre 4 e 14 de outubro com 2.457 empresas. Dessas, 1.011 são pequenas, 886 são médias e 560 são de grande porte.

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

496 Acontece 1 Ceo Rockwell - Moret e NosbuschDe acordo com a companhia, o executivo dará mais ênfase ao conceito The Connected Enterprise

A Rockwell Automation elegeu Blake D. Moret, um veterano com 30 anos na empresa, para presidente e diretor executivo, a partir de 1° de julho de 2016. Nessa data, Keith D. Nosbusch, 65 anos – que está em ambos os cargos desde 2004 -, deixará as posições, mas continuará na presidência do Conselho. Moret, 53 anos, é atualmente, vice-presidente sênior do segmento Control Products & Solutions da empresa. É formado pelo Instituto Tecnológico da Geórgia, onde completou o bacharelado em engenharia mecânica. Atuou como presidente do Conselho de Administração do Instituto de Manufatura da Associação Nacional de Fabricantes. Além disso, é membro do Conselho de Administração do Centro Ecológico Urbano, baseado em Milwaukee; do Conselho de Administração do United Way of Greater Milwaukee; e do Conselho Consultivo da Escola de engenharia mecânica de Woodruff, na Georgia Tech. Em 2011, foi nomeado vice-presidente sênior de Control Products & Solutions, um dos dois segmentos comerciais da empresa, com vendas no ano fiscal 2015 de US$ 3.6 bilhões.

Para Donald R. Parfet, diretor-chefe da companhia, Blake já provou ser um líder excepcional e pronto para liderar a empresa. ¨Estamos muito satisfeitos com o fato de que ele desenvolverá as muitas conquistas da empresa obtidas sob a direção de Keith e levará nossa visão de The Connected Enterprise ao próximo nível.” A Rockwell Automation, empresa dedicada à informação e automação industriais, tem sede em Milwaukee, WI (EUA) e emprega cerca de 22.000 pessoas, atendendo clientes em mais de 80 países.

TAGS: ,

Deixe seu comentário

0

fesquaConsolidada como a maior feira da indústria de esquadrias na América Latina, a FESQUA | Feira Internacional de Esquadrias, Ferragens e Componentes será realizada de 21 a 24 de setembro de 2016, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, em São Paulo. Dirigida aos profissionais da construção civil como fabricantes de esquadrias, engenheiros, construtores, arquitetos, serralheiros, consultores, vidraceiros e compradores deste segmento, em sua 11ª edição, apresenta soluções em portas e janelas, fachadas, acessórios, componentes, portões, vidros, maquinário e equipamentos de ponta para a indústria.

Entre as grandes marcas já confirmadas estão: ALCOA ALUMINIO, ALUMISOFT SISTEMAS, BELMETAL, CORTESA, EMMEGI DO BRASIL, FERMAX, GLASS VETRO, IDEIA GLASS, PADO, SAINT-GOBAIN DO BRASIL, SAPA ALUMINIUM BRASIL, SOMFY DO BRASIL, SPACE GLASS e UDINESE METAIS.

Segundo Rimantas Sipas, diretor comercial da Cipa Fiera Milano, o atual cenário econômico trouxe novos desafios às empresas. “No segmento de esquadrias, as empresas têm apostado na oferta de novos serviços e no uso da tecnologia. O crescimento deste mercado virá de novas áreas de atuação, com tecnologia, customização, investimento no portfólio e linhas complementares de produtos”.

Além da área expositiva a FESQUA 2016 oferecerá diversas oportunidades para estreitar o relacionamento com clientes, conhecer novos fornecedores e as principais tendências do mercado como o Tecno Fachadas | Salão de Tecnologia e Acabamento de Fachadas, com as mais recentes tecnologias e soluções em acabamentos de fachadas. Com foco no fabricante de esquadrias traz eventos de conteúdo e atualização profissional através da Expo Serralheria | Feira de Equipamentos e Serviços para Serralherias e do Sebraser | Seminário Brasileiro de Serralheria. Os eventos são organizados pela Cipa Fiera Milano com realização da Cesar Tavares Comunicações.

Mais informações: www.fesqua.com.br

Serviço

11ª FESQUA | Feira Internacional de Esquadrias, Ferragens e Componentes

Eventos Simultâneos: 10ª Tecno Fachadas | Salão de Tecnologia e Acabamento de Fachadas; 18ª Expo Serralheria | Feira de Equipamentos e Serviços para Serralherias; Sebraser | Seminário Brasileiro de Serralheria e 10ª FEITINTAS | Feira da Indústria de Tintas, Vernizes e Produtos Correlatos.

Data: 21 a 24 de setembro de 2016, 4ª a 6ª das 14h às 21h | Sábado das 10h às 19h
Local:
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo – SP – Brasil
Transporte gratuito: Rua Nelson Fernandes, 450 – Acesso pelo Terminal Rodoviário Jabaquara
* Evento gratuito para profissionais do setor

 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

averyA Avery Dennison Corporation (NYSE:AVY) anunciou hoje a indicação de Hassan Rmaile como Vice-Presidente Global de R&D para o Grupo Materiais.   Ele substituirá Sjaak Elmendorp que se aposenta após 22 anos de atuação na empresa.

Como VP Global de R&D, Rmaile cuidará da extensa rede global de R&D (Pesquisa & Desenvolvimento) e focará seus esforços na identificação de aplicações novas e inusitadas, além de manter o crescimento do desempenho dos materiais e sua atratividade em termos de custo.

Rmaile vem da H.B. Fuyller, baseada em St. Paul, Minnesota (EUA), uma empresa global de adesivos industriais, onde atuou como Vice-Presidente, Chefe de Tecnologia e Responsável pela Inovação.  Antes de atuar na H.B. Fuller, ele foi responsável por aumentar a liderança comercial e de inovação da Ashland Incorporated, uma empresa de especialidades químicas.

“Hassan traz uma forte experiência de liderança global em R&D e sucesso comprovado na comercialização de novas tecnologias e produtos, melhorando a rentabilidade do negócio,” declara Georges Gravanis, Presidente da Avery Dennison Materials Group. “Ele é um experiente líder global de inovação em vários setores do mercado de especialidades químicas.“

Rmaile tem o título de PhD em Química pela Florida State University, MBA em Finanças pela University of Delaware e Bacharelado em Química pela American University of Beirut, do Líbano.

TAGS: ,

Deixe seu comentário

0

veoliaA Veolia Water Technologies, empresa mundial na prestação de serviços relacionados ao tratamento de água e efluentes, apresenta Vera Lucia Casson Greco como nova Diretora de Propostas da empresa no Brasil.

Formada em engenharia de saneamento pelo Instituto Mauá de Tecnologia, Vera também cursou matemática e estatística pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A executiva tem 30 anos de experiência e já passou por empresas da área de saneamento como Degrémont, OTV e Filsan.

 

TAGS:

Deixe seu comentário

0

saneamentoRuddi Pereira de Souza liderará o conselho durante o biênio 2015-2017

“Sabemos dos desafios e saltos gigantescos que o país precisa na área de saneamento. O que nós vemos muitas vezes é o copo meio vazio, mas é sempre muito importante ver o copo meio cheio, enxergando as oportunidades de negócios para as empresas e as possibilidades de melhorar a saúde pública e a qualidade de vida do Brasil”. Com essa mensagem, o presidente do Conselho de Administração da ABIMAQ, Carlos Pastoriza, iniciou a cerimônia de posse da nova diretoria do Conselho de Saneamento Ambiental, em outubro, na sede da entidade.

O presidente eleito, Ruddi Pereira de Souza, afirmou estar satisfeito com a sua nomeação. “Será um grande desafio para mim e vou certamente contar com o apoio de todos para que possamos conseguir gerar oportunidades de negócios a partir dessa integração”, declarou Souza.

Conquistas

Valdir Folgosi, vice-presidente do SINDESAM (Sistema Nacional das Indústrias de Equipamentos para Saneamento Básico e Ambiental), fez uma retrospectiva de sua gestão à frente do Conselho de Saneamento Ambiental e afirmou que, embora não tenha conseguido superar todos os desafios, algumas conquistas foram alcançadas, como a valorização do conselho junto às entidades; luta para a reforma da lei 8.666; luta e universalização do saneamento em parceria com outras entidades; valorização do reúso da água como ferramenta de combate à crise hídrica; e engajamento e defesa do Conteúdo Local valorizando a indústria nacional.

“Além disso, tive o privilégio de criar vínculos de amizade com vocês, que lutam pelo mesmo setor e pelos mesmos ideais. Tenho certeza que o novo presidente fará uma boa gestão, criando um mercado forte e importante para as indústrias do setor”, ressaltou Folgosi.

Souza salientou a importância do apoio para as conquistas do segmento: “Este vai ser um trabalho de time para conseguirmos algo melhor para o nosso setor. Quero dizer que contem comigo e que nós vamos chegar onde nós precisamos”, finalizou Souza.

Também estiveram presentes o secretário nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, Paulo Ferreira, o presidente do SINDESAM, Gilson Cassini, o consultor da ABIMAQ, Primo Pereira Neto, e demais representantes do setor.

 

TAGS: , ,

Deixe seu comentário

0

site blogA Revista P&S nasceu em 1974 como primeiro tabloide de novos produtos, equipamentos e serviços para a indústria.

Com o crescimento do mercado a evolução da Revista P&S foi inevitável. Em constante atualização, a Revista hoje abrange um conjunto de mídias e soluções inovadoras, no qual o objetivo é unir o mercado comprador ao vendedor industrial, facilitando assim as compras e a venda de produtos, equipamentos e serviços.

A Revista P&S é um catálogo de produtos focado no mercado de Bens de Capital, com 40.000 exemplares gratuitos mensais de abrangência nacional. O site P&S caminha na mesma direção, porém com o dinamismo que este veículo oferece. Traz não apenas novidades sobre fornecedores, equipamentos e serviços com foco no setor produtivo, mas também a visão do mercado econômico em relação ao segmento industrial.

O grande diferencial tanto da Revista impressa, quanto do site, está na inclusão de conteúdos técnicos, com testes e avaliações comparativas de equipamentos por especialistas, auxiliando os departamentos de compras, engenharia, manutenção a tomar decisão no momento da compra.

O novo site P&S foi redesenhado exclusivamente para atender as necessidades de um mercado industrial muito mais dinâmico e informatizado. Objetivo, vai direto ao que interessa a esse segmento, otimizando assim seu tempo, caro leitor.

Nas seções você encontra cotação diária da bolsa de valores, artigos, agenda de eventos importantes e atualizados, conteúdos técnicos, assim como economia, nacional e internacional, e informações do que mais importante acontece no mercado industrial.

No novo site da P&S você também tem a possibilidade de se conectar com outros veículos do setor que estejam cobrindo informações relevantes, tendo acesso direto com o link original, a partir da nossa página.

Seja bem vindo(a) e bons negócios!

TAGS: ,

Deixe seu comentário

BUSCA

CATEGORIAS

SOBRE O BLOG INDUSTRIAL

O Blog Industrial acompanha a movimentação do setor de bens de capital no Brasil e no exterior, trazendo tendências, novidades, opiniões e análises sobre a influência econômica e política no segmento. Este espaço é um subproduto da revista e do site P&S, e do portal Radar Industrial, todos editados pela redação da Editora Banas.

TATIANA GOMES

Tatiana Gomes, jornalista formada, atualmente presta assessoria de imprensa para a Editora Banas. Foi repórter e redatora do Jornal A Tribuna Paulista e editora web dos portais das Universidades Anhembi Morumbi e Instituto Santanense.

NARA FARIA

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), cursando MBA em Informações Econômico-financeiras de Capitais para Jornalistas (BM&F Bovespa – FIA). Com sete anos de experiência, atualmente é editora-chefe da Revista P&S. Já atuou como repórter nos jornais Todo Dia, Tribuna Liberal e Página Popular e como editora em veículo especializado nas áreas de energia, eletricidade e iluminação.

ARQUIVO

seminário Rodada 10 Perspectivas faturamento máquinas negócios infraestrutura exportação IBGE CNI importação PIB Pesquisa Revista P&S Evento inovação Feira Internacional da Mecânica Artigo meio ambiente Investimento sustentabilidade FIESP Lançamento máquinas e equipamentos mercado Economia tecnologia Feimafe Feira indústria